18 de dezembro de 2009

2º Natal do Blog - Boas festas para todos!!!

E eis que chega mais um natal desse meu querido Blog!

Ano passado postei bem mais coisas, até porque, acho que esse foi o ano que eu mais trabalhei até hoje, fazendo com que o tempo de lazer ficasse bem menor. QUE BOM NÉ???

Mas, mesmo assim, fiquei contente de mantê-lo vivo e mais contente ainda de contar com a presença de muitos visitantes, bons comentários, elogios, etc...

E essa foto é pra gente esquecer um pouco aquela imagem de um Papai Noel "véio" e barrigudo né...

É isso aí galerinha! Um feliz natal pra todo mundo e

"Long Live Rock 'N' Roll"

Nervosinhos...


E tem gente que tá brava falando que eu não posso dizer o que eu disse em relação show do AC/DC... Não só posso, como disse. E direi sempre o que eu achar que devo.

Não é por que os caras são uma banda clássica que eu tenho que achar tudo que eles fazem perfeito...

Sabem o que eu acho mais legal??? Que eu só trago ao ar os comentários que realmente valem a pena! Ahuahauhauha...

E que bom que são a ampla maioria!!!

E viva a democracia da internet!!!

Abraços a todos!!!

11 de dezembro de 2009

The Proclaimers - Som escocês de qualidade

Banda formada pelos irmãos gêmeos idênticos Charlie e Craig Reid. Parece que vieram direto dos anos 50/60, dado o visual e tipo de som que eles tem. Achei bem legal e vale a pena ser escutado. Abraço a todos.

29 de novembro de 2009

AC/DC no brasil - Cumprindo tabela???

Bom, vamos lá...

Nem só de elogios vive um fã de rock...

Produção excelente, som muito bom, iluminação fora de série. Achei apenas que podiam ter tocado um pouco mais de duas horas, dada a quantidade e empolgação da galera presente...

Ou, pelo menos, ao invés do inacabável solo de guitarra do Angus (em torno de 10 minutos), podiam ter usado esse tempo para enfiar mais umas 3 excelentes músicas, o que para eles não é nada difícil. Para nós brasileiros seria excelente, afinal não os vemos por aqui a toda hora. Seria um pouco mais de "atenção" com os fãs, já que poucas vezes ví o Morumbi tão lotado. Teve gente que chegou de madrugada pra entrar na pista e garantir um lugar perto dos caras... tomou chuva, etc, etc...

Mas tudo bem, de qualquer maneira, foi um bom show. Valeu a pena a grana investida. Mas, sinceramente, o show do Rush de 2002 ainda está como meu primeiro da lista. E por vários motivos: Há sete anos atrás (exatamente), os caras mostraram uma qualidade de som bem superior - por mais incrível que possa parecer - tocaram por 3h10, fora os excelentes telões da mesma qualidade do AC/DC (só que há 7 anos atrás!).

Emfim, acho que eles podiam ter colocado essas 3 ou 4 músicas para alongar um pouquinho o show e não vou nem me atrever a dizer quais, já que tem muita coisa boa dos caras.

Abraços a todos e voltem sempre!!!

17 de novembro de 2009

Mudança de casa! Que que é isso...



UFAAAA!!! Finalmente chegou o speedy aqui em casa, depois de quase 20 dias de transferência da linha... Ainda não acabei de organizar tudo, mas já tá tudo arrumado... Por isso o total abandono do Blog... Mas agora apareceu outro "probleminha", estou sem computador... Hahahaha... Vamos indo, não vou parar, é apenas uma fase... Grande abraço a todos!!

29 de outubro de 2009

Iommi - Riffs inconfundíveis, timbre pesado, personalidade total!


O cara é foda, tenho prestado mais atenção às suas performances e realmente, o cara toca muito. E toca pesado. E como eu sempre digo, "Um pouco de peso (ou muito), de vez em quando, não mata ninguém!!!"


Só para constar.

Continuando a fase "Sem vontade de escrever"


Sabem a melhor coisa de se ter um blog? É não ter a mínima obrigação de escrever nada!!! Ahaha...


É sério, tem muita coisa acontecendo e mesmo assim ainda achei um tempo para dar uma satisfação à vocês, caros leitores.


Tô saindo de um emprego e me adaptando com novos horários e novos objetivos, vou mudar de casa, preciso reorganizar minha alimentação (que tá uma zona!), enfim, fase de acertos!


Peço desculpas aos que sempre procuram coisas novas para baixar, prometo que logo mais continuarei a postar bons álbuns para deleite dos senhores(as).


Agora, esse IOMMI aí de cima é bom ou não e hein? Poutz... Bom demais... Andei ouvindo esses dias umas 4 vezes e posso dizer que é difícil de cansar dele!! Ouçam, ouçam...


Abraços a todos e "Stay tuned for mor Rock 'n' Roll"...

23 de outubro de 2009

No writing phase...

É isso aí pessoal, tô meio sem paciência pra escrever! Mas continuo ouvindo coisa boa, huahuahua!!!

Aliás, para quem torce o nariz pra eles, estou ouvindo o bom e velho Guns 'N' Roses, "Use Your Illusion I & II". É impressionante como lembra a época dos 18 anos... Eita!!
Atire a primeira pedra quem não ouviu. Pelo menos na época.

Fizeram história. E pronto.

Abração pra todo mundo!!!

PS - Logo mais, estarei de volta às escritas roqueiras!!!

13 de setembro de 2009

The Byrds - Por que mesmo que eu ainda não tinha postado nada sobre eles?!?!?!?!


Banda norte-americana de rock formada em 1964 em Los Angeles. Mistura entre o folk rock de Bob Dylan e o som pop dos Beatles, é considerada uma das mais importantes influências para o rock na década de 1960. Durante sua carreira ajudaram no desenvolvimento de gêneros como folk rock, space rock e rock psicodélico. Estão no Hall da Fama do Rock and Roll e vários integrantes obtiveram sucesso em carreiras solo após deixarem o grupo.

História

O início
Formada em 1964 por Jim McGuinn (batizado como James McGuinn III, nascido em 13 de Julho de 1942 em Chicago, Illinois, que mudou o nome para Roger McGuinn in 1967), Gene Clark (batizado como Harold Eugene Clark, nascido em 17 de novembro de 1944 em Tipton, Missouri; morto em 24 de maio de 1991) e David Crosby (batizado como David Van Cortland Crosby, nascido em 14 de agosto de 1941 em Los Angeles). O baixista Chris Hillman (nascido em 4 de dezembro de 1944 em Los Angeles) e o baterista Michael Clarke (batizado como Michael Dick, nascido em 3 de junho de 1946, em New York e morto em 19 de dezembro de 1993) juntaram-se a banda depois.

Quando ainda eram um trio gravaram a música "The Only Girl I Adore" se autodenominando como The Jet Set. Após tornarem-se um quinteto, passaram a ensaiar e gravar na World Pacific Studios em Los Angeles e lançaram um compacto com as músicas "Please Let Me Love You" e "Don't Be Long" sob o nome de The Beefeaters.

Folk Rock
Em 1964, assinaram um contrato com a Columbia Records e mudaram o nome para The Byrds. Em 20 de janeiro de 1965, gravaram a canção "Mr. Tambourine Man", de autoria de Bob Dylan. A canção recebeu um tratamento elétrico, no que ficou conhecido como folk rock. Atingiu o primeiro lugar na Billboard Hot 100 e na UK Singles Chart.

O primeiro álbum da banda, que recebeu o nome da canção, contava com versões de outras três composições de Dylan ("Spanish Harlem Incident", "All I Really Want to Do" e "Chimes of Freedom"), uma versão de "The Bells of Rhymney", de Pete Seeger, além de composições próprias.
Ainda em 1965, os Byrds gravaram "Turn! Turn! Turn!", adaptação de Pete Seeger para o início do terceiro capítulo do Livro de Eclesiastes da Bíblia. A canção tornou-se o segundo número um da banda na Billboard Hot 100 e deu nome ao segundo álbum dos Byrds.

Rock Psicodélico
Cansados do folk rock, começaram a experimentar novos sons. No final de 1965 gravaram "Eight Miles High", uma das primeiras músicas psicodélicas. A música foi lançada primeiramente em compacto em 1966 e depois junto ao álbum Fifth Dimension (em julho de 1966). Porém Gene Clark abandonou a banda antes do lançamento, em março. Irritados com o sucesso produzido da banda americana The Monkees, The Byrds gravou a música "So You Want to Be a Rock 'n' Roll Star", uma crítica ao negócio da música. A música fez parte do quarto álbum da banda Younger Than Yesterday.

Mudanças
Em 1967, começaram a surgir tensões na banda, McGuinn e Hillman começaram a ficar irritados com Crosby. Neste mesmo ano tocaram no Festival de Monterey, Crosby cantou a maioria das músicas e fez discursos entre as músicas sobre o assassinato de John Kennedy e sobre os benefícios do uso de LSD. Com as tensões aumentado a banda despediu Crosby, que juntou-se a Stephen Stills e Graham Nash formando a banda Crosby, Stills & Nash. Gene Clark juntou-se a banda por três semanas mas após sua saída The Byrds chamou o baterista de estúdio Jim Gordon e o guitarrista Clarence White para finalizar o próximo álbum. Clarence White tornou-se membro da banda oficialmente. O álbum The Notorious Byrd Brothers foi lançado em 1968 que mixava o folk rock, rock psicodélico e jazz, além da música country. Alguns críticos de música consideram este o melhor álbum do The Byrds.

Após o álbum, o The Byrds ficou reduzido a dois integrantes (McGuinn e Hillman). Acabram chamando Kevin Kelley para assumir a bateria e Gram Parsons para os teclados (que posteriormente passou a ser guitarrista da banda).

Música Country
Com a nova formação a banda mudou de rumo novamente. Em janeiro de 1968 eles tocaram em Nashville e logo começaram a gravar um álbum ao estilo country, Sweetheart of the Rodeo. O álbum não atingiu muito sucesso e antes do lançamento Parsons abandonou a banda. Kelley largou a banda logo depois de Parsons. Para substituí-los foram contratados o baterista Gene Parsons e o guitarrista Clarence White. Dois shows após as novas contrataçoes Hillman abandonou a banda e em seu lugar entrou o baixista John York. Roger McGuinn era agora o único integrante presente desde o início da banda.

Após o álbum The Dr. Byrds & Mr. Hyde eles lançaram o álbum Ballad of Easy Rider ambos de 1969. Em 1970 lançaram o álbum Untitled e no ano seguinte o Byrdmaniax que trouxe uma decepção, pois o produtor Terry Melcher fez algumas alterações no álbum que desagradaram a banda.

Reunião
Em 1972, os cinco integrantes originais se reuniram e gravaram um álbum mas sem o nome da banda. O nome adotado foi "Gene Clark, Chris Hillman, David Crosby, Roger McGuinn, Michael Clarke" mas o álbum se chamou Byrds. Menos de um mês depois do álbum ser lançado, eles realizaram o último show.

Mortes
Em 1973, Clarence White morreu atropelado e Gram Parsons de overdose de morfina misturada a álcool. Gene Clark e Michael Clarke morreram em 1991.

Discografia
1965 - Mr. Tambourine Man
1965 - Turn! Turn! Turn!
1966 - Fifth Dimension
1967 - Younger Than Yesterday
1968 - The Notorious Byrd Brothers
1968 - Sweetheart of the Rodeo
1969 - Dr. Byrds & Mr. Hyde
1969 - Ballad of Easy Rider
1970 - (Untitled)
1971 - Byrdmaniax
1971 - Farther Along
1973 - Byrds
2000 - Live at the Fillmore - February 1969

Integrantes
Formação Original
Gene Clark – Vocais
Roger McGuinn – Guitarra, vocais
David Crosby – Guitar, vocais
Chris Hillman – Baixo
Michael Clarke – Bateria, gaita

Outros Integrantes
Kevin Kelley - Bateria (1968)
Gram Parsons – Guitarra, piano, vocais (1968)
Clarence White - Guitarra, vocais (1968-1973)
Gene Parsons - Bateria (1968-1972)
John York – Baixo, vocais (1968-1969)
Skip Battin – Baixo, vocais (1969-1973)
John Guerin – Bateria (1972-1973)
Joe Lala - Bateria (1973)
Não deixem de baixar e conhecer a obra desses caras, que naquela época cheia de gente muito boa, conseguiram criar e estabelecer novos referenciais.
Abraços a todos.

12 de setembro de 2009

Momentos...


Uma foto que pode ser considerada, no mínimo, histórica. Joan Baez, bem novinha e o nosso querido Bob Dylan, acho que mais novo ainda!!!
Os anos 60 realmente nos deram muita coisa boa. Época em que se via gente simples, sem produção nenhuma, tocando e cantando coisas lindas, realmente!!!

Espero que gostem!

Abraços e bom fim de semana

29 de agosto de 2009

Snow Patrol - Sonzinho moderno bem legal.


Banda de rock alternativo, formou-se na Escócia pelo vocalista/guitarrista Gary Lightbody e pelo baixista/tecladista Mark McClelland, dois estudantes da Irlanda do Norte, que estavam estudando em Dundee, Escócia.

São frequentemente comparados à banda Coldplay pela imprensa, o que é estranho, já que eles escrevem músicas muito melhores, não parecem ter tanto ódio deles mesmos e não são tão ricos!!
Espero que gostem!!!

Abraços!

23 de agosto de 2009

Total lack of time... Simple like that!!!


Olha, olha, olha, o dono do blog está vivo!!!!!!!!! Ahahaha...

Não esqueci nem abandonei o ''bologue''...

Logo mais coisas novas aparecerão, aguardem!!!

Abraços a todos!!

6 de agosto de 2009

Fim de semana - Novas audições?!!?


É isso aí galera, esse fim de semana, estou de volta à terrinha, ou seja, São Paulo.

Espero que dê certo de eu dar uma passada pelo bom e velho O'Malleys pra escutar alguma boa banda de lá das redondezas! Assim que chegar, falo pra todos se rolou algo de interessante!!!
Grande abraço pra todo mundo e um ótimo final de semana!!!

28 de julho de 2009

Série Ícones do Blues #3 - Howlin' Wolf


Galera, esse cara é demais... Tão bom que resolvi colocar a biografia dele no original, em inglês. Se alguém quiser, pode perdir por e-mail que eu traduzo algum pedaço que não entender. Não deixem de conhecer esse Monstro sagrado do Blues!!!

Abraços e espero que gostem!

Chester Arthur Burnett (June 10, 1910 – January 10, 1976)
Better known as Howlin' Wolf, was an influential American blues singer, guitar and harmonica player.

With a booming voice and looming physical presence, Burnett is commonly ranked among the leading performers in electric blues; musician and critic Cub Koda declared, "no one could match [Howlin' Wolf] for the singular ability to rock the house down to the foundation while simultaneously scaring its patrons out of its wits." Many songs popularized by Burnett—such as "Smokestack Lightnin'," "Back Door Man" and "Spoonful"—have become standards of blues and blues rock.

At 6 feet, 6 inches (1,98m) and close to 300 pounds (136kg), he was an imposing presence with one of the loudest and most memorable voices of all the "classic" 1950s Chicago blues singers. Howlin' Wolf's voice has been compared to "the sound of heavy machinery operating on a gravel road". Although the two were reportedly not that different in actual personality, this rough edged, slightly fearsome musical style is often contrasted with the less crude but still powerful presentation of his contemporary and professional rival, Muddy Waters, to describe the two pillars of the Chicago Blues representing the music.

Howlin' Wolf, Sonny Boy Williamson (Rice Miller), Little Walter Jacobs and Muddy Waters are usually regarded in retrospect as the greatest blues artists who recorded for Chess in Chicago. Sam Phillips once remarked of Chester Arthur Burnett, "When I heard Howlin' Wolf, I said, 'This is for me. This is where the soul of man never dies.' " In 2004, Rolling Stone Magazine ranked him #51 on their list of the 100 Greatest Artists of All Time.

Early life
Born in White Station, Mississippi, near West Point, he was named after Chester A. Arthur, the 21st President of the United States, and was nicknamed Big Foot Chester and Bull Cow in his early years because of his massive size. He explained the origin of the name Howlin' Wolf thus: "I got that from my grandfather [John Jones]." He used to tell him stories about the wolves in that part of the country and warn him that if he misbehaved, they would "get him". As a youth he listened to Charley Patton, who taught him the rudiments of guitar, as well as to the Mississippi Sheiks, Tommy Johnson and Jimmie Rodgers, who was Wolf's childhood idol. Wolf tried to emulate Rodgers' "blue yodel", but found that his efforts sounded more like a growl or a howl. "I couldn't do no yodelin'," Barry Gifford quoted him as saying in Rolling Stone, "so I turned to howlin'. And it's done me just fine." His harmonica playing was modeled after that of Rice Miller (also known as Sonny Boy Williamson II), who had lived with his sister for a time and taught him how to play. He played with Robert Johnson and Willie Brown in his youth.

He farmed during the 1930s, served in the United States Army as a radioman in Seattle during World War II, and by 1948 had formed a band which included guitarists Willie Johnson and M. T. Murphy, harmonica player Junior Parker, a pianist remembered only as "Destruction" and drummer Willie Steele. He began broadcasting on KWEM in West Memphis, Arkansas, alternating between performing and pitching farm equipment, and auditioned for Sam Phillips's Memphis Recording Service in 1951.

According to the documentary film The Howlin' Wolf Story, Howlin' Wolf's parents broke up when he was young. His very religious mother Gertrude threw him out of the house while he was still a child for refusing to work around the farm; he then moved in with his uncle, Will Young, who treated him badly. When he was 13, he ran away and claimed to have walked 85 miles (137 km) barefoot to join his father, where he finally found a happy home within his father's large family. During the peak of his success, he returned from Chicago to his home town to see his mother again, but was driven to tears when she rebuffed him and refused to take any money he offered her, saying it was from his playing the "Devil's music".

Career
1950s
Howlin' Wolf quickly became a local celebrity, and soon began working with a band that included Willie Johnson, and guitarist Pat Hare. His first recordings came in 1951, when he recorded sessions for both the Bihari brothers at Modern Records and Leonard Chess' Chess Records. Chess issued Howlin' Wolf's How Many More Years in August 1951; Wolf also recorded sides for Modern, with Ike Turner, in late 1951 and early 1952. Chess eventually won the war over the singer, and Wolf settled in Chicago, Illinois c. 1953. arriving in Chicago, he assembled a new band, recruiting Chicagoan Joseph Leon "Jody" Williams from Memphis Slim's band as his first guitarist. Within a year Wolf enticed guitarist Hubert Sumlin to leave Memphis and join him in Chicago; Sumlin's terse, curlicued solos perfectly complemented Burnett's huge voice and surprisingly subtle phrasing. Although the line-up of Wolf's band would change regularly over the years, employing many different guitarists both on recordings and in live performance including Willie Johnson, Jody Williams, Lee Cooper, L.D. McGhee, Otis "Big Smokey" Smothers, his brother Abe "Little Smokey" Smothers, Jimmy Rogers, Freddie "Abu Talib" Robinson, and Buddy Guy, among others, with the exception of a couple of brief absences in the late '50s Sumlin remained a member of the band for the rest of Wolf's career, and is the guitarist most often associated with the Chicago Howlin' Wolf sound.

In the 1950s Wolf had four songs that qualified as "hits" on the Billboard national R&B charts: "How Many More Years", his first and biggest hit, made it to #4 in 1951; its flip side, "Moanin' at Midnight", made it to #10 the same year; "Smoke Stack Lightning" charted for three weeks in 1956, peaking at #8; and "I Asked For Water" appeared on the charts for one week in 1956, in the #8 position. In 1959, Wolf's first album, Moanin' in the Moonlight, a compilation of previously released singles, was released.

1960s
His 1962 album Howlin' Wolf is a famous and influential blues album, often referred to as "The Rocking Chair album" because of its cover illustration depicting an acoustic guitar leaning against a rocking chair. This album contained "Wang Dang Doodle", "Goin' Down Slow", "Spoonful", and "Little Red Rooster", songs which found their way into the repertoires of British and American bands infatuated with Chicago blues. In 1964 he toured Europe as part of the American Folk Blues Festival tour produced by German promoters Horst Lippmann and FriIn 1965 he appeared on the television show Shindig at the insistence of The Rolling Stones, who were scheduled to appear on the same program and who had covered "Little Red Rooster" on an early album. He was often backed on records by bassist and songwriter Willie Dixon who is credited with such Howlin' Wolf standards as "Spoonful", "I Ain't Superstitious", "Little Red Rooster", "Back Door Man", "Evil", "Wang Dang Doodle" (later recorded by Koko Taylor), and others.

In September, 1967, he joined forces with Bo Diddley and Muddy Waters for The Super Super Blues Band album of Chess blues standards, including "The Red Rooster" and "Spoonful".

1970s
In May 1970, Howlin' Wolf, his long-time guitarist Hubert Sumlin, and the young Chicago blues harmonica player Jeff Carp traveled to London along with Chess Records producer Norman Dayron to record the Howlin' Wolf London Sessions LP, accompanied by British blues/rock musicians Eric Clapton, Steve Winwood, Ian Stewart, Bill Wyman, Charlie Watts and others. He recorded his last album for Chess, The Back Door Wolf, in 1973. Chess released a Howlin' Wolf compilation album, Chess Masters, in 1981.

Unlike many other blues musicians, after he left his impoverished childhood to begin a musical career, Howlin' Wolf was always financially successful. Having already achieved a measure of success in Memphis, he described himself as "the onliest one to drive himself up from the Delta" to Chicago, which he did, in his own car on the Blues Highway and with four thousand dollars in his pocket, a rare distinction for a black blues man of the time. In his early career, this was the result of his musical popularity and his ability to avoid the pitfalls of alcohol, gambling, and the various dangers inherent in what are vaguely described as "loose women", to which so many of his peers fell prey. Though functionally illiterate into his 40s, Burnett eventually returned to school, first to earn a G.E.D., and later to study accounting and other business courses aimed to help his business career.

Wolf met his future wife, Lillie, when she attended one of his performances in a Chicago club. She and her family were urban and educated, and not involved in what was generally seen as the unsavory world of blues musicians. Nonetheless, immediately attracted when he saw her in the audience as Wolf says he was, he pursued her and won her over. According to those who knew them, the couple remained deeply in love until his death. Together they raised Lillie's two daughters from an earlier relationship, Bettye and Barbara.

After he married Lillie, who was able to manage his professional finances, Wolf was so financially successful that he was able to offer band members not only a decent salary, but benefits such as health insurance; this in turn enabled him to hire his pick of the available musicians, and keep his band one of the best around. According to his daughters, he was never financially extravagant, for instance driving a Pontiac station wagon rather than a more expensive and flashy car.

Legacy
Burnett died at Hines VA Hospital in Hines, Illinois, USA on January 10, 1976 and was buried in Oak Ridge Cemetery, Hillside, Cook County, Illinois in a plot in Section 18, on the east side of the road. His large gravestone, allegedly purchased by Eric Clapton, has an image of a guitar and harmonica etched into it.

The Howlin' Wolf Memorial Blues Festival is held each year in West Point, Mississippi. Wolf's Juke Joint Jam is another annual Howlin' Wolf tribute festival held in West Point. Some of the artists who have played 'Wolf Jam' include Wolf's lead guitarist Hubert Sumlin, Muddy Waters' back band of Willie "Big Eyes" Smith, Calvin "Fuzz" Jones and "Steady Rollin" Bob Margolin, Willie King, Blind Mississippi Morris, Kenny Brown, Burnside Exploration, etc. The festival is held at the 500-acre (2 km²) festival grounds know as Waverly Waters Resort, and is sponsored by 2 Brothers Brand barbecue sauce and seasonings.

Burnett was portrayed by Eamonn Walker in the 2008 motion picture Cadillac Records.

Grammy Hall of Fame
A recording of Howlin' Wolf was inducted into the Grammy Hall of Fame, which is a special Grammy award established in 1973 to honor recordings that are at least twenty-five years old, and that have "qualitative or historical significance."

Rock and Roll Hall of Fame
The Rock and Roll Hall of Fame listed three songs by Howlin' Wolf of the 500 songs that shaped rock and roll.

The Blues Foundation Awards
2004 Historical Blues Album of the Year The London Howlin' Wolf Sessions Nominated
1995 Reissue Album of the Year Ain't Gonna Be Your Dog Nominated
1992 Vintage or Reissue Blues Album--US or Foreign The Chess Box-Winner
1990 Vintage/Reissue (Foreign) Memphis Days Nominated
1989 Vintage/Reissue Album (US) Cadillac Daddy Nominated
1988 Vintage/Reissue Album (Foreign) Killing Floor: Masterworks Vol. 5 Winner
1987 Vintage/Reissue Album (US) Moanin' in the Moonlight Winner
1981 Vintage or Reissue Album (Foreign) More Real Folk Blues Nominated

Honors and Inductions
On September 17, 1994 the U.S. Post Office issued a Howlin' Wolf 29 cents commemorative postage stamp.

Howlin' Wolf Inductions
2003 Mississippi Musicians Hall of Fame Inducted
1991 Rock and Roll Hall of Fame Inducted Early Influences
1980 Blues Hall of Fame Inducted

Discography
1959: Moanin' in the Moonlight
1962: Howlin' Wolf Sings the Blues; Howlin' Wolf
1969: The Howlin' Wolf Album
1971: Message to the Young
1971: The London Howlin' Wolf Sessions
1972: Live and Cookin' (At Alice's Revisited)
1973: The Back Door Wolf

Covers
Countless artists have recorded cover versions of Howlin' Wolf songs

17 de julho de 2009

Jeff Healey

Procurem ouvir bastante Jeff Healey, garanto que vale apena, mesmo!!! Sonzeira para todas as horas! Abraços a todos.

Série Ícones do Blues - #2 Jeff Healey

Esse cara dava até pra colocar nas duas categorias, Rock e Blues, mas vou colocar só no Blues, já que tocou bastante esse estilo durante toda sua espetacular carreira.

Nascido Norman Jeffrey Healey, em 25 de março de 1966 em Toronto, no Canadá. Era um músico canadense de Jazz, vocalista de Blues-Rock e guitarrista. Era cego e desenvolveu seu estilo próprio de tocar guitarra, no colo, chamado de “Lap-Top”. Perdeu a vista aos oito anos de idade devido ao Retinoblastoma, uma espécie rara de câncer nos olhos. Aprendeu e desenvolveu sozinho seu estilo combinado com sua maneira de tocar o instrumento. Teve muita popularidade musical e pessoal, particularmente nos anos 80 e 90.

Começo da carreira e sucesso
Healey começou tocar guitarra quando ainda tinha três anos de idade, desenvolvendo seu estilo único de tocar o instrumento no seu colo. Quando tinha 17 anos, formou a banda “Blue Direction”, com 4 integrantes, que, no começo, tocava músicas cover de bandas de bar. Entre outros músicos, estavam o baixista Jeremy Littler, o baterista Graydon Chapman, e um colega de escola, Rob Quail, na segunda guitarra. Tocaram em vários clubes de Toronto, incluindo a “Colonial Tavern”.

Rapidamente foi apresentado a dois músicos, o baixista Joe Rockman e o baterista Tom Stephen, com quem formou um trio, "The Jeff Healey Band". Essa banda apareceu em público pela primeira vez noBirds Nest, localizado em Toronto, no Chicago's Diner, na Queen Street West. Foram comentados na revista de Toronto NOW, e logo estavam tocando praticamente todas as noites em clubes locais, como, por exemplo, a Grossman's Tavern e o famoso clube de Blues Albert's Hall (onde Jeff Healey foi descoberto por ninguém menos que os virtuosos Stevie Ray Vaughan e Albert Collins).

Depois de assinar com a Arista Records em 1988, a banda lançou o álbum See the Light, que tinha o hit "Angel Eyes" e a música "Hideaway", que foi nomeada para o Grammy para Melhor Performance de Rock Instrumental. Enquanto a banda gravava See the Light, eles também filmaram (e gravaram para a trilha sonora) do filme de Patrick Swayze “Road House”. Em 1990, ganharam o Juno Award por “Entertainer of the year” no Canadá. Os álbuns Hell to Pay e Feel This deram a Healey 10 posições nos “Charts” de singles do Canadá entre 1990 e 1994, incluindo um cover dos Beatles, "While My Guitar Gently Weeps" que tinham nada menos que George Harrison e Jeff Lynne nos backing vocals e no violão.

No lançamento do álbum Get Me Some, em 2000, Healey estava um pouco cansado do mundo do rock e começou a se concentrar seus consideráveis talentos numa direção mais próxima do seu coração, o “Hot Jazz”.

Foi então que lançou três CDs de sua verdadeira paixão, o Jazz americano tradicional dos anos 20 e 30. Ele esteve com bandas de Jazz tradicional ao redor de Toronto desde o começo de sua carreira musical. Embora fosse conhecido primeiramente como guitarrista, também tocava trompete em performances ao vivo.

Healey era um colecionador inveterado de LPs e conseguiu fazer uma coleção de bem mais de 30.000 (sim, trinta mil) LPs de 78 rotações. Ele apresentava, de tempos em tempos, um programa de rádio na CBC,chamado My Kind of Jazz, onde ele tocava seus álbuns de sua vasta coleção. Também apresentava um programa semelhante na rádio Jazz de Toronto CJRT-FM, também conhecida como JAZZ FM91.

Também viajava com seu outro grupo, The Jazz Wizards, tocando hot Jazz americano. Quando morreu, estavam planejando uma série de shows no Reino Unido, Alemanha e Holanda, em Abril de 2008.

Durante os anos, Healey viajou e sentou-se ao lado de muitos artistas lendários, como Stevie Ray Vaughan, Buddy Guy, BB King, ZZ Top, Steve Lukather, Eric Clapton e muitos outros. Em 2006,

Healey apareceu no DVD “Gillan’s Inn”, do vocalista do Deep Purple Ian Gillan's. Também descobriu e ajudou a desenvolver as carreiras de outros artistas, incluindo Amanda Marshall e Terra Hazelton.

Doença e morte
Em 11 de janeiro de 2007, Healey foi submetido a uma cirurgia para remoção de metástases nos dois pulmões. Durante os 18 meses anteriores teve dois sarcomas retirados de suas pernas.
Em 2 de março de 2008, morreu de câncer no St. Joseph's Health Centre na sua cidade natal, Toronto. Tinha 41 anos de idade. Sua morte ocorreu um mês antes do lançamento de seu álbum, Mess of Blues, que é o seu primeiro álbum de rock/blues em oito anos.

A memória de Healey se mantém viva através de sua esposa, Cristie, e de suas duas crianças.

Discografia
1986: Adrianna/See the Light (Prensagem Particular)
1988: See the Light
1989: Road House Soundtrack
1990: Hell to Pay
1992: Feel This
1995: Cover to Cover
2000: Get Me Some
2002: Among Friends
2003: Live at Healey's
2004: Adventures in Jazzland
2005: The Jeff Healey Band Live at Montreux 1999
2006: It's Tight Like That
2008: Mess of Blues

9 de julho de 2009

Abandono, Jogos Regionais, Trabalho, etc...


Sumi de novo!!! Estava nos Jogos regionais mais uma vez, representando a terrinha... Bom demais correr de bicicleta. Sensação de velocidade, força, precisão, técnica e confiança em você.
Apesar de todos os obstáculos desse ano (joelho machucado, gripe, pé machucado, gripe mais uma vez e a sempre presente -grazaDeus- falta de tempo), ainda fiz um 4º e um 7º lugar nas provas individuais e ficamos no 3º lugar por equipe! Tá ótimo. Fiquei feliz e é isso que vale.

Além do mais, somos 4 pra correr contra equipes de 8, 9 ou 10 caras, a maioria profissionais contratados que só fazem isso! Nós somos mecânicos, técnicos, motoristas, atletas e o que mais precisar! Por um lado é bom, pois dá um sabor excelente às conquistas. Espero que entendam o momentâneo abandono ao ''Bologue''. Prometo que vou dedicar mais tempo agora.
Abraços à todos.

26 de junho de 2009

Dia de 30 horas


Não ia ser má idéia!! Um dia com 30 horas!! Hahaha...
Assim acho que daria tempo de fazer tudo com mais tranquilidade...
Mas, assim que é bom. Deus me livre da paradeira!!!

Amanhã (Sexta 26/06) à noite tem show da Blues the Ville, excelente banda dos amigos de São Carlos, imperdível!!
Quem estiver por esses lados, não deixe de aparecer, é garantia de sucesso. Vai ser no nosso querido "butekão" a Petiskeira. Aliás, uma bela casa, que tem se superado constantemente, mantendo sempre a qualidade do atendimento, da bebida e da comida e do som que rola por lá. Jr e Anderson, vocês estão de parabéns!!!

Abraços e amanhã estaremos por aí!

13 de junho de 2009

Série Ícones do Blues - #1 Sonny Boy Williamson I




Nascido perto de Jackson, Tennessee, em 30 de março de 1914 e morto em 1 de Junho de 1948, Sonny Boy Williamson (John Lee Curtis Williamson), foi um gaitista americano de blues e o primeiro homem a usar o nome “Sonny Boy Williamson”.


Suas gravações originais de gaita eram consideradas “Country Blues, mas logo demonstrou habilidade em fazer com que a gaita se tornasse um dos principais instrumentos do Blues, além de ter popularizado o instrumento pela primeira vez num estilo mais urbano do Blues. Ele costuma ser chamado de "The father of modern blues harp" ou “O Pai da gaita de Blues moderna”.


Sua primeira gravação, "Good Morning, School Girl", foi um dos maiores hits do mercado de discos ('race records') de 1937. Tinha uma popularidade enorme nas audiências negras, por todo o sudeste dos EUA, assim como nas cidades industriais do meio-oeste Americano, como Detroit e a cidade onde residia, Chicago. Seu nome ficou tido como significado da gaita do Blues pela próxima década. Outras gravações famosas incluem "Shake the Boogie", "You Better Cut That Out", "Sloppy Drunk", e "Early in the Morning".


Seu estilo influenciou um grande número de artistas da gaita de Blues, entre eles Billy Boy Arnold, Junior Wells, Sonny Terry, Little Walter, e Snooky Pryor, entre muitos outros. Era, com certeza o mais ouvido e mais influente tocador da gaita de Blues de sua geração. Sua música também influenciou muitos de seus colegas contemporâneos e sucessores não tocadores de gaita, incluindo Muddy Waters (que tocou com ele em meados dos anos 40) e Jimmy Rogers (que em sua primeira gravação, em 1946 tocou gaita, imitando estranhamente o estilo de Williamson); Mais tarde, Rogers gravou as músicas "My Little Machine" e "Sloppy Drunk" de Williamson pela Chess, e Waters gravou "Good Morning Little Schoolgirl" em Setembro de 1963 para o seu LP Folk pela Chess e novamente nos anos 70, quando ele mudou para o selo de Johnny Winter, o Blue Sky, na CBS.


Em 1 de junho de 1948, John Lee Williamson foi morto num assalto num bairro do sul de Chicago, quando voltava de sua performance final no “The Plantation Club” na esquina da rua 31st e avenida Giles, uma taverna a um quarteirão e meio de sua casa, na rua 3226 S. Giles. Dizem que suas últimas palavras foram “Lord have mercy”, ou seja, “Deus, tenha piedade”.


Seu legado tem sido obscurecido na era pós-guerra do Blues por um músico que se apossou de seu nome artístico, Rice Miller, que depois da morte de Williamson gravou muitas músicas populares do Blues pelo selo Checker Records, de Chicago e outros, tendo viajado em turnê pela Europa várias vezes durante o “Blues Revival” do começo dos anos 60.


Williamson está enterrado no local onde ficava a igreja “The Blairs Chapel Church”, a sudoeste de Jackson, Tennessee. Em 1991, um marco de granito vermelho foi comprado por fãs e família para marcar o local de seu enterro. Um outro marco histórico, também colocado em 1991, indica o local de seu nascimento e descreve a influência que ele teve sobre o Blues. Esse marco histórico está localizado ao sul de Jackson, na TN Highway 18, na “esquina” da Caldwell Road.


Acho tão bom que foi um dos meus primeiros post aqui do blog http://rockbluesafins.blogspot.com/2008/04/sonny-boy-williamson-histria-de-um-mito.html

Vejam o link acima. Terão mais um monte de informações. Quanto ao link abaixo, excelentes vídeos (em preto e branco) da época. Achei incrível quando descobri isso tudo no Youtube. Vários vídeos desse, que para mim, tinha que ser o primeiro da galera do Blues!
www.youtube.com/watch?v=DFRMBWgyH-M


Grande abraço a todos!!

30 de maio de 2009

Série Ícones do Rock - #1 Angus Young


Acho que nem preciso falar muito sobre esse ''rapaz'', mas claro que não poderia deixar de estar presente e no primeiro lugar da lista, já que estereotipa todos os fundamentos do rock! Grande músico, grande presença de palco, carismático, etc, etc, etc...

Vou mandar uma ''ficha técnica'' básica para quem ainda não sabe muito sobre esse cara, que simplesmente criou sua maneira única de tocar guitarra, com seus ''saltos'', espasmos, ''chuck berry swing'' e todas as performances condizentes!

Resumo
Angus McKinnon Young (Glasgow, Escócia, 31 de Março de 1955) é um guitarrista de hard rock escocês . Angus é membro e fundador da banda australiana AC/DC. Sua guitarra elétrica predileta é a Gibson SG. Um dos maiores guitarristas da história do rock and roll e considerado por muitos como o maior riffer de todos os tempos.

Biografia
Angus Young, um dos nove filhos de William e Margaret Young, nasceu em Cranhill, Glasgow com seus irmãos mais velhos Malcolm Young, George e Alex. Angus começou a tocar violão quando tinha apenas 5 anos de idade. Seu vizinho tinha um violão e Angus costumava tocar sempre que o visitava. Seu primeiro violão, no entanto, foi um banjo que pertencia à sua família, em que ele mudou a afinação.

Primeiros Anos
Angus passou a tocar guitarra mais seriamente em 1963, ano em que sua família mudou-se da Escócia para a Austrália. Ele comprou uma Gibson SG após tê-la visto em um catálogo de um amigo. Enquanto não tinha sua Gibson SG, ele tocava numa velha Höfner que era de seu irmão Malcolm. Um dos irmãos de Young, George (que tocava na banda The Easybeats), dava aulas de guitarra para Angus e Malcolm quando estava em casa após as turnês.

Antes de formar o AC/DC, Angus tocou num grupo chamado Kantuckee, que tinha como formação Bob McGlynn (Vocal), Angus Young (Guitarra) e Jon Stevens (Baixo). Foi a primeira banda a gravar uma fita demo para Stevie Wrights, classicamente conhecido como "Evie", num pedido de George Young. A banda cresceu e mudou o nome para Tantrum, com outro vocal, Mark Sneddon.

Formação do AC/DC
Angus e Malcolm Young formaram o AC/DC em 1973. A primeira formação incluia Angus como guitarra solo, Malcolm como guitarra base, Colin Burgess na bateria, Larry Van Kriedt no baixo e Dave Evans nos vocais. A primeira música da banda chamou-se "Can I Sit Next To You Girl". Eles criaram o nome AC/DC após ter visto que estava escrito AC/DC atrás de uma máquina de costura da irmã Margaret. AC/DC é uma sigla em inglês que significa corrente alternada/corrente contínua de eletricidade.

Após tocar com a banda por um tempo, Angus desenvolveu a imagem de Schoolboy (Garoto da escola). Antes de ter a imagem de Schoolboy, Angus tentou outras imagens, como Spider-Man, Zorro, Gorilla e uma paródia do Superman, nomeado de Super-Ang. A imagem de Schoolboy veio a ser uma marca registrada de Angus Young. O uniforme original foi retirado de sua escola secundária, Ashfield Boys High School, em Sydney. Há rumores de que ele não tinha tempo de trocar sua roupa antes de ir para os shows. Sua irmã Margaret sugeriu que ele vestisse o uniforme da escola, após Malcolm ter dito que cada membro da banda teria que ter uma vestimenta. Isso pode parecer irônico, mas Angus não gostava muito de ir a escola.

Eventos Recentes
Angus prefere manter sua vida privada fora da mídia. Atualmente, mora em Sydney, Austrália, porém, também tem uma residência em Aalten, Holanda (por ele ter uma casa na Holanda, ele está numa lista das 500 pessoas mais ricas desse país). É fato também que se casou com sua esposa Ellen em 1980 pouco depois da morte de Bon Scott.

Em 24 de Agosto de 2006, Angus recebeu o "Kerrang! Magazine's Legend Award", do editor Paul Brannigan. Paul Brannigan considerou AC/DC como uma das bandas mais importantes da história do rock e Angus Young também já foi coroado como maior ícone do rock por uma revista inglesa, estando na frente de pessoas como Slash, Kurt Cobain e outros.

Quem quiser enviar sugestões para aparecer na série ''Ícones do Rock'', fique à vontade.

Abraços e espero que gostem.

28 de maio de 2009

Problemas de Conexão...

O Speedy continua aquela maravilha... Pra ajudar, queimou minha "praca" de vídeo, portanto estou na Lan House só para avisar que logo mais estarei de volta!!
Desculpem os problemas!!!
Abraços e até mais...

12 de maio de 2009

Fleet Foxes - Som de Seattle, mas com tendências bem diferentes.


Taí, gostei!
Sonzinho maneiro, diretamente de Seattle.

Apesar desse fato, serve para mostrar como o rock americano dessa área do país mudou desde a época do Grunge... Boa voz, letras bem interessantes e uma harmonia bem legal!

Liderada pelo vocalista e guitarrista Robin Pecknold, que cresceu ouvindo discos de Bob Dylan, Neil Young, the Zombies, e dos Beach Boys. Seguindo uma linha com influência folk e de rock clássico, definido como “baroque harmonic pop jams” pelos próprios integrantes, o grupo é composto por Skyler Skjelset (guitarrra), Bryn Lumsden (baixo), Nicholas Peterson (bateria), e Casey Wescott (teclados).

Depois de fazer alguns shows , o grupo chamou a atenção do produtor Phil Ek (produtor do Built To Spill, The Shins, Modest Mouse). Ek trabalhou com a banda no seu EP ''Sun Giant'' , lançado pelo selo Sub Pop em fevereiro de 2008. O álbum completo (''Fleet Foxes'') foi lançado oficialmente em 3 junho de 2008.

Ouçam e não se arrependam. Malfa, acho que você vai curtir!!

Abração a todos.


9 de maio de 2009

Amnésia nãooo!!!



É isso aí galerinha, sumi por uns dias mas foi por um bom motivo.

Estou ouvindo muita coisa nova e posso dizer que tem bastante coisa boa acontecendo, tocando e cantando por aí! Podem ter certeza que não esquecí do Blog.

Aliás, estou preparando a série "Personalidades do Rock" e "Personalidades do Blues", onde vou colocar alguns perfis de artistas famosos ou que influenciaram de maneira importante a história dos nossos queridos gêneros musicais e até mesmo da música no geral!!! Aguardem para logo mais...

Tem bastante coisa na minha cabeça, o duro é tempo pra botar tudo no "papel", hehehe!!!

Abraços e ótimo fim de semana para todos!!!

29 de abril de 2009

Guns 'N' Roses - Chinese Democracy


Chinese Democracy começou a ser gravado em 1997, quando Axl Rose era o único membro original e só um musico ainda resistia desde o começo da década: Dizzy Reed.

O disco começou a ser anunciado com o lançamento de "Oh My God" em 1999, na trilha do filme Fim dos Dias, estrelado por Arnold Schwarzenegger. A espera aumentou ao serem tocadas músicas novas na tour de 2001-2002.

No começo de janeiro de 2006, Axl foi visto e fotografado no lançamento da turnê da banda Korn, onde concedeu uma entrevista à revista Rolling Stone na qual diz que o som de Chinese Democracy estava diferente do que todos conhecem como Guns, com alguns arranjos lembrando Queen e que tratava-se de um álbum muito complexo. Além disso, afirmou que "as pessoas ouviriam música esse ano", levando a crer num possível lançamento ainda em 2006.

Porém, o CD não foi publicado em 2006. Uma carta aberta de Axl explicou que ele pretendia

lançar Chinese Democracy em Março de 2007.

Em 22 de fevereiro de 2007, Del James, gerente de Turnê do Guns, informou no site oficial da banda que a gravação do CD havia sido concluída, mas que o lançamento não seria em março. Informou também que não existe uma data oficial para o lançamento mas que a banda está trabalhando na mixagem do CD.
2007 passou e os fãs se decepcionaram mais uma vez. Em 15 de agosto de 2008, sai na internet a música "Shackler's Revenge". Essa música foi lançada para o jogo "Rock Band 2".
No dia 23 de novembro de 2008, às 00:00, o site, que era até o momento uma contagem regressiva, zerou, e apareceu a mensagem "OUT NOW!".

Começou oficialmente o início da Era Chinese Democracy, que foi finalmente lançado.

Reação
Em 24 de novembro de 2008, horas após faixas do disco vazarem na Internet, o jornal chinês Global Times, impresso em inglês e publicado pelo Partido Comunista da China, estampou notícia criticando o disco e seu nome, que considera um ataque às instituições da nação, e o chama de 'maligno' e um 'plano para desestabilizar as instituições chinesas'.
Para baixar, clicar na figura.
Abraços a todos!

22 de abril de 2009

Heaven & Hell - The Devil You Know


O link é para o mais novo trabalho da banda, "The Devil You Know", álbum excelente (claro), com músicas que vão ficar na sua cabeça, com certeza, hehehe...
Clique na imagem para ser direcionado para o link
Abraços e curtam!!

Heaven & Hell - Precisa de apresentação??


Para quem não sabe, essa é a banda formada por Ronnie James Dio, Tony Iommi, Geezer Butler E Vinie Appice, ex integrantes do Black Sabbath. Acho que dispensa maiores detalhes. Heavy Metal de qualidade, riffs muito bem elaborados (como não poderia deixar de ser quando se tem um guitarrista como esse!), vocais de Dio, muitas vezes lembrando o bom e velho Sabbath. Eu acho muito legal! Baixo (Butler) muito bem tocado, reforçando a excelente bateria (Appice).

Enfim, eu acho que é isso que tá faltando hoje em dia, som de responsabilidade, sem frescura. O bom e velho Heavy Metal. Parece até que voltei no tempo ao ouvir um novo lançamento do Sabbath, lá pro meio dos anos 80... Hehehe...

Abraços e não deixem de ouvir.

Link para o site oficial:

www.heavenandhelllive.com

16 de abril de 2009

Banda Dose Tripla - O'Malleys

Alguns lugares continuam muito legais ao longo do tempo... Parece que se auto-conservam como lugares agradáveis. Um desses que eu gosto bastante é o O'Malleys Bar em São Paulo. Sempre que vou pra SP procuro dar uma passada por lá e como sempre, tem uma boa banda tocando um bom Rock ou um bom Blues. Porém, dessa vez eu realmente me surpreendi.

Cheguei já meio tarde, no intervalo da apresentação e quando recomeçaram a tocar, mandaram logo um "Here I Go Again" do Whitesnake, depois vieram Lenny Kravitz, U2, Creedence, mais algumas nesse nível e uma excelente "Daughter" do Pearl Jam. Muito bom, os caras estão de parabéns. O vocal excelente, adaptando-se bem aos diferentes estilos, o batera trabalhando bastante, inclusive tocando muito bem um ''cajon'', aquela caixa que, por assim dizer, substitui o ''bumbão''. O guitarrista era muito bom também, solando muito bem (inclusive o hino do Corínthians, hehehe...). Dêem uma olhada no site, é tempo bem gasto.
Fica aqui a dica, O"Malleys e ''Dose Tripla''. Vale a pena mesmo conhecer o Pub e a banda. Se der para pegar os dois juntos, melhor ainda!!!

Links para o site do bar e da banda.

Grande abraço!!

http://www.dosetripla.com/

8 de abril de 2009

The Blasters



Excelente banda de Rockabilly. Ouçam, pois tenho certeza que não vão se arrepender. Vou postar uma coletânea e o último álbum, ambos excelentes. Aproveitem!
Para quem quiser saber um pouco mais sobre eles, clique no link "Biografia" para ler a oficial (em inglês).
Abraços!!

http://rapidshare.com/files/218930905/TheBlasters-Collection.zip.html

ANIVERSÁRIO

Hoje sim o Blog faz um ano!!!
Parabéns para todos que por aqui passaram!!
Muito obrigado pelas dicas, opiniões, críticas, etc...
Que fique cada dia melhor!
Grande abraço para todo mundo que frequenta!!

5 de abril de 2009

Coverdale & Page


Feliz encontro do mundo do rock. Um excelente álbum que trás ninguém menos que David Coverdale (Whitesnake, Deep Purple) nos vocais e Jimmy Page (Led Zeppelin) na guitarra, criando um álbum único, vigoroso e alternativo, por assim dizer...

Escutem, escutem de novo com calma e curtam... É bom demais...

Atendendo a pedidos e por achar que fazia falta por aqui.

Abraços a todos e bom Domingo!!!

http://www.badongo.com/file/14272735

30 de março de 2009

Feliz Aniversário!!!


Dia 8 de abril o Blog completa um ano de existência!! Primeiro aniversário.
Posso dizer que em apenas um ano aprendi muito sobre música, justamente por ter o Blog. Isso é muito bom.

Conversei com muita gente legal, recebi críticas, elogios, opiniões, sugestões, etc...

Espero que a participação de todos só aumente, para que assim, possa melhorar cada vez mais!!!

Aguardem que tem bastante coisa vindo por aí!!!

Abraços e muito obrigado pelas mais de 40.000 visitas.

18 de março de 2009

Soundgarden - Down On The Upside


O último álbum da banda foi Down On The Upside, lançado em 1996 e produzido pela própria banda. Não atingiu o sucesso comercial de seus antecessores, apesar de críticas positivas e do sucesso de singles como Blow Up The Outside, Burden In My Hand e Pretty Noose. Ocorreram várias tensões dentro da banda durante o tour de promoção do álbum. No final do tour, em Honolulu, em Fevereiro de 1997, Shepherd atirou o seu baixo para o ar, frustrado após uma falha de equipamento, saindo do palco. Em 9 de abril de 1997 a banda anunciou seu fim. No Outono do mesmo ano, lançaram o seu ''Best Of''', intitulado de A-Sides, contendo apenas uma música nova, Bleed Together, que seria lançada como single.

Abaixo o primeiro link para o álbum acima e logo depois o link para a música "Bleed Together".
Abraços a todos!


Soundgarden - Superunknown



As gravações para o novo álbum iniciaram-se no estúdio Bad Animals em Seattle, Washington, em Julho de 1993, estendendo-se até Setembro do mesmo ano. A banda trabalhou com o produtor Michael Beinhorn para a produção do álbum. A respeito desta mudança, o guitarrista Kim Thayil afirmou: "Tivemos a percepção que iríamos tomar outro rumo". O álbum foi misturado por Brendan O'Brien. Lançado em Março de 1994, Superunknown foi o maior sucesso comercial da banda, tendo como singles "Black Hole Sun", "Spoonman", "The Day I Tried to Live", "Fell on Black Days" e "My Wave". O videoclip de Black Hole Sun tornou-se um sucesso na MTV e recebeu o prémio para melhor videoclip de Metal/Hard Rock nos MTV Video Music Awards de 1994.

As canções de Superunknown capturaram a criatividade dos trabalhos anteriores, enquanto mostram uma abordagem menos pesada da banda, evoluindo para um novo estilo. As letras do álbum são obscuras e misteriosas, sendo que as letras de muitas músicas estão relacionados com abusos, suicídios e depressão. O crítico musical J.D. Considine da revista Rolling Stone afirmou que a versatilidade patente no álbum Superunknown é largamente superior ao que a maioria das bandas demonstram na sua carreira inteira.Soundgarden acabou por arrecadar dois Grammies em 1995. Black Hole Sun recebeu o prêmio de melhor atuação Hard Rock e Spoonman recebeu o prêmio de melhor atuação Metal. Black Hole Sun foi também nomeado para melhor canção de Rock. Em 1995, Superunknown foi nomeado para o Grammy de melhor álbum Rock. Mais tarde, em 2003, a revista Rolling Stone colocou Superunknown na posição nº336 na lista dos 500 melhores álbuns de sempre.

17 de março de 2009

Soundgarden - Badmotorfinger


Na Primavera de 1991 a banda começou a trabalhar no seu próximo álbum com o produtor Terry Date. Badmotorfinger foi lançado na segunda metade do ano. O álbum possuía uma versão diferente do single "Room a Thousand Years Wide" e expôs a banda a uma ainda maior audiência. Os singles "Rusty Cage" e "Outshined" encontraram grande audiência na MTV e conduziram Badmotorfinger e os Soundgarden ao seu primeiro disco de platina, comemorando a venda de um milhão de cópias. O videoclipe do single "Jesus Christ Pose" acabaria por ser banido da MTV, pois foi considerado como anticristão.

No final de 1991, a banda iniciou um tour com os Guns ‘N’ Roses pelos Estados Unidos e Canadá. O EP Satanoscillatemymetallicsonatas (SOMMS) foi lançado no ano seguinte, contendo vários covers, entre os quais, "Stray Cat Blues" dos Rolling Stones e "Into the Void (Sealth)" dos Black Sabbath, que possuia uma letra diferente da original e viria a receber uma nomeação para um Grammy. Em 1992 Badmotorfinger foi nomeado para um Grammy na categoria de "Best Metal Performance". Um vídeo filmado nesse mesmo ano durante uma atuação da banda no Paramount Theater em Seattle, acabaria por ser lançado no início de 1993. Soundgarden contribuiu ainda para algumas causas nobres como a No Alternative Compilation em benefício do desenvolvimento de uma cura para a AIDS como também para um projeto do Greenpeace intitulado "Alternative NRG" tocando juntamente com o guitarrista dos Queen a música "New Damage" com um solo novo desenvolvido por Brian May.

Embora tida como uma crítica à religião Cristã, a canção "Jesus Christ Pose" é, segundo as palavras do vocalista e escritor Chris Cornell, uma crítica aos que procuram explorar a imagem de um mártir, como Jesus Cristo, para benefício próprio. A religião sofre, no entanto, duras críticas na canção "Holy Water", onde Cornell crítica não só os crentes, como também aqueles que procuram impor as seus crenças aos outros. "New Damage" e "Face Pollution" manifestam as preocupações ambientais e políticas da banda no mundo, por seu lado, "Outshined" está relacionada com a instabilidade emocional que Cornell sentia nessa época, balançando entre estados de depressão e euforia.

Em Outubro de 2006, a revista Guitar World publicou uma lista dos 100 melhores álbuns de guitarra de todos os tempos na qual incluiu o álbum Badmotorfinger na posição nº45.


16 de março de 2009

Soundgarden - Louder Than Love


O Soundgarden começou a trabalhar no seu segundo álbum, o primeiro sob os auspícios da A&M, Louder than Love (O título original era Louder than Fuck) em Dezembro de 1988.

Imediatamente a seguir ao lançamento do álbum, no Outono de 1989, Yamamoto optou por regressar ao meio acadêmico e abandonou a banda. Deixada numa situação complicada e com um tour já agendado, o Soundgarden começaram a sondar baixistas para substituir Yamamoto. Ben Shepherd estava entre aqueles que apareceram nas audições, mas, embora a banda gostasse do seu estilo, ele não conhecia as músicas. Jason Everman, que as conhecia, preencheu a vaga. A banda começou então a fazer tours pelos Estados Unidos e Europa, um dos quais foi filmado e mais tarde lançado em VHS como Louder than Live. Contudo, depois do tour, Everman (que já tinha feito parte do Nirvana) acabou mesmo por sair. O EP Loudest Love, lançado em 1990, contém um cover da música "Come Together" dos Beatles, que permanece como a única canção gravada em estúdio com Jason Everman na banda.

Foi nessa época que o vocalista dos Mother Love Bone, Andrew Wood, ex-companheiro de quarto de Chris Cornell, morreu de overdose. Kim Thayil revelou: Quando Andy morreu, comecei a pensar o quão único ele era, não havia ninguém como ele e o Chris estava pensando no mesmo. Eu me lembro que estávamos tomando um bebida e o Chris disse: “Tenho pensado muito no Ben porque há algo no espírito dele que o Andy tinha”. Nós pensamos que o Ben era esse tipo de pessoa, ele era único e foi então que decidimos contratá-lo. Ben Shepherd juntou-se ao resto da banda em 1990.

A recém-renovada banda lançou o seu single “Room a Thousand Years Wide” e como era de esperar, teve sucesso comercial, dando boas indicações do que estava para vir. Num tributo a Andrew Wood, Cornell escreveu um punhado de canções e pediu ao seu companheiro de banda Matt Cameron, bem como a Stone Gossard, Jeff Ament, Mike McCready e Eddie Vedder (membros dos Pearl Jam) para colaborarem no seu projecto Temple of the Dog. Um álbum com o nome da banda foi lançado em Abril de 1991 através da A&M. "Hunger Strike" e "Say Hello 2 Heaven" surgiram como singles.


Soundgarden - Ultramega OK & Screaming Life/Fopp



Link para ''Ultramega OK'' e ''Screaming Life/Fopp''.
A história pode ser conferida logo abaixo:

Sundquist, casado e com filhos, retirou-se da banda em 1986. Após alguma insistência, Cornell, Thayil e Yamamoto conseguiram convencer Cameron a abandonar a sua banda Skin Yard e foi então que os quatro começaram a gravar o seu primeiro EP, ''Screaming Life'' em 1987 através da editora Sub-Pop juntamente com um single promocional ''Hunted Down/Nothing to Say''. Em 1988, ''Fopp'' foi lançado como o segundo EP da banda. Baseando-se em covers de outras bandas como em ''Swallow my Pride'', ''Fopp'' não possui a mesma qualidade e versatilidade que o seu antecessor. Ambos os EP foram relançados em 1990 como um único álbum, ''Screaming Life/Fopp'', através da Sub-Pop. Por volta desta altura a A&M Record mostrou o seu interesse na banda, porém os membros do grupo optaram por permanecer no circuito underground e assinaram pela SST para gravar o seu primeiro álbum, ''Ultramega OK'' em 1988, o qual mais tarde seria nomeado para um Grammy. A persistência da A&M acabou por se revelar fortuita, e o Soundgarden acabou assinando pela editora neste mesmo ano.

http://rapidshare.com/files/209714238/Soundgarden1988UltramegaOK.zip


15 de março de 2009

Soundgarden - Banda com o "Tempo certo de vida"

Formação (1984-1986)
Soundgarden foi formado em 1984 por Chris Cornell (bateria e vocal) e Hiro Yamamoto (baixo), que foram mais tarde juntados a Kim Thayil (guitarra). Thayil havia se mudado para Seattle de Park Forest, Illinois com Yamamoto e Bruce Pavitt, que mais tarde começaria a Sub Pop Records. A banda se denominou assim a partir de uma escultura de canos que concentrava o vento, "The Sound Garden", localizada no Magnuson Park, em Seattle. Cornell originalmente tocava bateria enquanto cantava, mas a banda trouxe Scott Sundquist para permitir que Cornell se concentrasse nos vocais. As primeiras gravações da banda foram três canções que apareceram na compilação para a C/Z Records chamada Deep Six. Também continha canções de outras bandas do grunge como Green River, Skin Yard, Malfunkshun, The U-Men e Melvins.

Estilos Musicais e influências
Soundgarden foi um pioneiro no gênero musical grunge, que misturava elementos de punk rock e heavy metal em um som sujo e agressivo e, assim como o Alice in Chains, fazia um som mais pesado que as outras bandas da região. O som do Soundgarden durante os primórdios da cena grunge de Seattle foi descrito como consistindo de "ásperos neo-Zeppelinismos". A gravadora Sub Pop via a banda como tendo um ângulo que possuia "um vocalista bonitão e uma fusão de Led Zeppelin e Butthole Surfers".


Curiosidades
O Soundgarden geralmente utilizava de afinações alteradas e tempos esquisitos em suas canções. Muitas canções do Soundgarden eram tocadas em afinação drop D, incluindo "Jesus Christ Pose", "Outshined", "Spoonman", e "Black Hole Sun". As cordas E dos instrumentos eram por vezes afinadas mais abaixo, como em "Rusty Cage", onde a corda E (primeira de baixo para cima) está afinada em B. Algumas canções possuem afinações mais não-ortodoxas: "My Wave" e "The Day I Tried to Live" são ambas em afinação E-E-B-B-B-E. O uso de tempos esquisitos pela banda foi variada também; enquanto em canções como "Jesus Christ Pose" são no típico tempo 4/4, "Outshined" é em 7/4, "My Wave" usa 5/4, "Fell on Black Days" é em 6/4, e "Spoonman" alterna entre seções de 7/4 e 4/4. Kim Thayil disse que a banda geralmente não considerava o tempo de uma canção até após tê-la escrito, e disse que o uso de tempos diferentes era "um total acidente".

Fase Pós-Soundgarden (1998-presente)
Cornell lançou um álbum solo em setembro de 1999 intitulado Euphoria Morning. Em 2001, formou o grupo Audioslave com os antigos membros do Rage Against the Machine. Cornell gravou três álbuns como vocalista da banda até sua saída (e o fim da banda) no começo de 2007. Ainda no mesmo ano, em junho, Cornell lançou seu segundo álbum, Carry On, que recebeu críticas variadas e sucesso comercial.

Matt Cameron inicialmente jogou seus esforços para seu projeto paralelo Wellwater Conspiracy, a qual ambos Shepherd e Thayil contribuíram. Ele então trabalhou brevemente com o Smashing Pumpkins e foi até, de acordo com boatos, considerado como substituto de Jimmy Chamberlin. Em 1998, acompanhou o Pearl Jam na turnê de Yield e subseqüentemente uniu-se a banda como membro permanente.

Kim Thayil juntou forças com o ex-vocalista do Dead Kennedys Jello Biafra, o ex-baixista do Nirvana Krist Novoselic e a baterista Gina Mainwal para um concerto, se denominando No WTO Combo, durante a conferência ministral do WTO em 1 de dezembro de 1999, em Seattle. Posteriormente, contribuiu com guitarras para o álbum 999 Levels of Undo de Steve Fisk, assim como o projeto paralelo de Dave Grohl, Probot, em 2004. Em 2006, Thayil tocou guitarra no álbum Altar, a colaboração entre as bandas Sunn O e Boris.

Shepherd saiu em turnê com Mark Lanegan e lançou o segundo álbum do Hater em 2005. Ele também ocasionalmente aparece nos álbuns do Wellwater Conspiracy.

Quanto a uma futura reunião do Soundgarden, Chris Cornell comentou em uma entrevista em outubro de 2005 que "provavelmente não aconteceria", e continuou:

“É quase como se nós tivéssemos lacrado a tampa e dito, este é o Soundgarden e este é o seu tempo de vida, e colocado lá. E isso realmente parece ótimo para mim. Eu acho que voltarmos a tocar juntos tiraria a tampa daquilo e então poderia possivelmente mudar o que para mim, parece um tempo de vida perfeito da banda. Eu não consigo imaginar qualquer razão para mexer com isso.”

Integrantes
Chris Cornell (Vocal/Guitarra) 84 a 97;
Kim Thayil (Guitarra) 84 a 97;
Hiro Yamamoto (Baixo) 84 a 89;
Matt Cameron (Bateria) 87 a 97;
Ben Shepherd (Baixo) 90 a 97;
Jason Everman (Baixo) 89 (nenhum álbum);
Scott Sundquist (Bateria) 84 a 86 (nenhum álbum).

Eu acho uma grande banda, vide os integrantes e o que fizeram (e ainda fazem). Excelente representante do movimento Grunge!!!

Durante a semana, vou postando os álbuns e contando a história da banda.

Audioslave


Esse, sem dúvida, estava faltando na minha coleção há um bom tempo. Mas, como eu só compro CD com preços justos (salvo raras exceções), não acho ruim de esperar...

O primeiro CD da banda que resultou do fim do Rage Against The Machine com a adição dos vocais do talentosíssimo Chris Cornell (já citado nesse mesmo Blog), para quem não sabe, ele é o ex-vocalista do Soundgarden, vocalista/guitarrista do Temple of The Dog (ao lado de Eddie Veder em algumas músicas), atual vocalista do Audioslave e vocalista/guitarrista solo, ou seja, seu currículo não deixa nem um pouco a desejar.

Muito Rock de qualidade, do começo ao fim. Sucessos como "Cochise", "Show Me How To Live", "Gasoline", "Like a Stone", "Shadow On The Sun", "I Am The Highway" e "Getaway Car" estão presentes, sem nenhuma falta... Foi certificado como disco triplo de platina.

Sempre que grandes talentos se juntam, coisas boas aparecem!!!
Não deixem de ouvir.
Abraços a todos e boa semana!!!

13 de março de 2009

Sexta-Feira com gripe...


E eis que chega a sexta-feira... Correria, como sempre, mas assim que é bom!!! A gripe batendo firme, mas acho que está no fim... Prometo que esse até domingo posto alguma coisa interessante! Abração a todos e um bom fim de semana.

6 de março de 2009

Puta Calor...

Sinceramente, ando com tanto calor que não tenho tido muito tempo pra ler, nem pra ouvir nada de relevante. Tô parecido com o burro da foto, descabelado e com a orelha baixa... Preciso é comprar um ar condicionado logo! Que que é isso... Ando até meio sem inspiração, mas fiquem tranquilos que logo logo vem coisa nova por aí. Quero que mandem os resultados da imagem abaixo com o maior número possível de bandas. Abraços a todos.

2 de março de 2009

Desafio - Teste seus conhecimentos musicais!


Essa eu tava devendo pro Blog já fazia um tempo.

A gravadora Virgin lançou um desafio há uns 3 anos mais ou menos (não me lembro agora), onde fizeram um desenho que apareciam os nomes de várias bandas famosas disfarçados (às vezes, nem tanto!).

Quais você consegue ver? Clique na foto para ampliar.

Boa Sorte!

Black Crowes - Acho que voltei aos anos 60!!!


Hoje assisti pela 3ª vez o excelente DVD "Brothers of a Feather" do Black Crowes.

Os caras parecem ressurgidos dos anos 60, o que eu acho muito legal, devido à pouca idade dos caras.


Quem não viu, não sabe o que está perdendo. Ficou bem legal o estilo meio psicodélico meio hard rock deles em versões quase acústicas, diferente dos álbuns, mas bem legal.

Vale a pena.

Abraços a todos e boa semana!!