30 de novembro de 2008

RAPIDSHARE LIMITADO

É galera, parece que o RapidShare está com um limite de 10 downloads por arquivo, portanto, muitos links não estão funcionando!!

Quem quiser algum álbum específico, por favor, peça para mim no e-mail
xexav8@bol.com.br que eu faço o Upload e envio o link pessoalmente, em algum outro Servidor de downloads.

Desculpem o imprevisto.

Abraços a todos.

25 de novembro de 2008

Jonny Lang - Turn Around (2006)


Jonny Lang (nascido Jon Gordon Langseth Jr. em 29 de Janeiro de 1981), é considerado por muitos o garoto prodígio do blues de sua geração. Sua maneira de cantar e tocar lhe garantiu muitos elogios.

Começou tocando saxofone com os colegas de ginásio, enquanto tomava aulas de guitarra. Aos 12 anos de idade, passou a tocar com a “The Bad Medicine Blues Band”. Alguns meses mais tarde, com a ascensão de Lang, a banda passou a se chamar “Kid Jonny Lang & The Big Bang”. A banda então se mudou da pacata cidade de Fargo para Minneapolis, onde gravou o álbum de estréia, “Smokin’”, em 1995, cujo destaque era uma cover de Robert Johnson, “Malted Milk”.

O álbum vendeu muito bem e logo se tornou um hit regional. Essa vendagem e a grande aceitação do público pela “Kid Jonny Lang & The Big Bang” acabou culminando com a contratação de Jonny Lang pela A&M Records.

Jonny Lang teve estréia “solo” no ano de 1997 com o álbum “Lie To Me”, que rapidamente se destacou como um dos álbuns mais vendidos da safra de novos artistas.

Os críticos se deleitaram com “Lie To Me” e também com a maturidade em cantar e tocar de Jonny Lang, neste período com apenas 16 anos de idade.

Com o lançamento de “Lie To Me” e sua completa aceitação pelo público, Lang caiu na estrada acompanhando nomes como Aerosmith, The Rolling Stones, B.B. King e Blues Traveler.

O segundo álbum oficial de Lang não demorou a sair, e foi intitulado de “Wander This World”. Esse álbum é uma fusão de blues, r&b, rock e baladas. Segundo o próprio Lang: “O blues teve um bebê, e nós o chamamos de rock’n’roll”.

Destaque para suas aparições no filme “Blues Brothers 2.000” e no “Free Jazz Festival” de 1999, em São Paulo/SP, onde deixou boquiabertos os presentes com sua presença de palco, voz e guitarra. Suas principais influências são Stevie Ray Vaughan, Eric Clapton, Luther Allison e Albert Collins.

O próximo disco, Wander This World, foi lançado em 20 de outubro de 1998 e ganhou uma indicação ao Grammy. Logo após foi lançado o Long Time Coming em outubro de 2003. Lang também fez um cover de Dying to Live de Edgar Winter. O mais novo disco de Lang, com influência gospel, o Turn Around, foi lançado em 2006, e mais recentemente Lang ganhou o seu primeiro Grammy Award.

Em mais de dez anos de estrada, Lang fez turnê com os Rolling Stones, Aerosmith, B.B. King, Jeff Beck e Sting. Em 2004 Eric Clapton convidou Lang para tocar no Crossroads Guitar Festival para angariar fundos para o Crossroads Centre Antigua.

O cara é muito bom, som muito agradável de ouvir, voz super potente e guitarra clássica do blues com algum Rock 'N' Roll bem dosado. Espero que gostem.


23 de novembro de 2008

The Jimmy Rogers All-Stars Blues Band


Muito legal...

Sonny Boy - "Nine Below Zero"


Difícil foi achar uma foto da capa desse álbum, desculpem, deixo o trabalho pra vocês, mas o som vale a pena!!! Abraços.

Jimi & BB - The Kings' Jam


E quem sou eu pra falar alguma coisa...

Howlin' Wolf - Blusão "Nervoso"


Mais conhecido como Howlin’ Wolf, Chester Arthur Burnett nasceu em 1910, e desde pequeno já gostava de música; inclusive já não tinha um bom relacionamento com sua mãe porque ela dizia que ele tocava música do diabo. Quando ele tinha 13 anos, se mudou para a região do Delta com seu pai. Foi lá que ele realmente se apaixonou pela música, fascinado pelo blues local. Aos 18 seu pai lhe deu a primeira guitarra. E com quem aprendeu a tocá-la?

Com Charley Patton, o primeiro grande blues star do Delta. Sorte? Não sei. E depois aprendeu a tocar gaita com um gaitista relativamente conhecido, o Sonny Boy Williamson II, que era seu cunhado (que mundo pequeno, já foi blogado aqui!).

Além disso, ainda aprendeu a cantar ouvindo os discos de seus ídolos, como Blind Lemon Jefferson, Tommy Johnson, Leroy Carr, Lonnie Johnson, Blind Blake, entre outros. Nas suas primeiras apresentações até se vestia igual ao Blind Lemon Jefferson, como numa única foto que existe dele. E pra completar, quando ele não estava trabalhando na fazendo com seu pai, ele viajava pela região do Delta com vários músicos, como Robert Johnson, Sonny Boy, Patton, Son House e Willie Brown. Que início de carreira!!

Em 1948, se mudou para West Memphis onde montou sua própria banda e ganhou um programa na rádio local, onde tocava Blues e dava dicas sobre trabalho na fazenda. Com sua voz forte, presença de palco incrível (aliás, o apelido Wolf era por seu tamanho de ‘dar medo’ mesmo), em 1951 finalmente chamou a atenção de Sam Philips¹, que impulsionou sua carreira: gravou “Moanin’ At midnight” e “How Many More Years” e as mandou para RPM e Chess Records.

Entre as duas gravadoras, ele escolheu a Chess e se mudou para Chicago, onde morou até morrer, em 1976. Em Chicago (na década de 60), tinha uma competitividade com os músicos de lá, principalmente com Muddy Waters, que apesar de amigos, a rivalidade entre eles não era tão amigável como os fãs pensavam. Muitos músicos que trabalharam com os dois, disseram que Wolf era mais profissional que Waters. Enquanto Waters continuou firme e forte com a Chess Records, Wolf queria ser mais independente, e assim fez até os últimos anos de sua vida, dizia “I sing for the people”. Muitas das melhores músicas de Wolf, tinham participação de Hubert Sumlin².

Mas enquanto contratado, fez um bom trabalho pela Chess: escreveu músicas-símbolo do Blues, como “Smokestack Lightning” e “Killing Floor”. Agora, olha só isso: Willie Dixon escreveu essas pérolas especialmente para Wolf tocar: “Little Red Rooster”, “Backdoor Man”, “I Ain’t Superticious” e “Spoonful”. Aposto que conhecem essas!

Vários regravaram muito de Wolf: - “Little Red Rooster” foi gravado por Sam Cooke em 1963 e pelos Rolling Stones em 1964;

- The Yardbirds gravou “Smokestack Lightning” em 1964, e The Animals também, só que em 1966;

- Led Zeppelin gravou “How Many More Years” (só que mudaram o nome para “How Many More Times”). Eles também ‘transformaram’ “Killing Floor” na conhecida “The Lemon Song” no Led Zeppelin II;

- The Doors gravou “Back Door Man” no seu primeiro álbum e “Smokestack Lightnin'” somente em alguns shows, como “Stockholm ‘67” LP; Back Door Man ficou muito famosa na voz de Jim;

- The Jimi Hendrix Experience cantou “Killing Floor” algumas vezes;

- Cream também regravou “Sitting on Top of the World”;

- Soundgarden regravou “Smokestack Lightning” no seu primeiro álbum,

- Clutch cantou “Who’s Been Talking” no “Robot Hive/Exodus”;

- Stevie Ray Vaughan cantou “Shake for me” no álbum ao vivo “In the Beginning”, copiando até o solo, tocado originalmente por Hubert Sumlin;

¹ Sam Philips foi quem descobriu, simplesmente: Elvis Presley, Carl Perkins, Jerry Lee Lewis, Charlie Rich e Johnny Cash.

² Hubert Sumlin: Esse cara é ÍDOLO de, nada menos que Eric Clapton, Jimmy Page, Stevie Ray Vaughan, Peter Green e Jimi Hendrix, entre outros.

Deixo para vocês o link para o álbum ''The Wolf Is At Your Door'', espero que curtam!!

5 de novembro de 2008

Pequena pausa


É isso aí galera, tudo do Midnight pra vocês, espero que estejam gostando.

Vou dar uma sumidinha, já que na próxima semana vou para os Jogos Abertos competir e volto só no outro final de semana.

Mas, assim que voltar, vou colocar alguns álbuns de Blues que eu tenho aqui.

Muita coisa boa, é só esperar.

Um abraço!

4 de novembro de 2008

16º - 20.000 Watt R.S.L. (1997)


Deixei esse por último, já que considero o mesmo, um excelente "Greatest Hits".
Muito bom também pra quem não conhece a banda, já que mostra excelentes exemplos de várias fases de sua carreira. Uma música melhor que a outra!!!

Abraços e vou ficando por aqui com essa que considero uma das minhas 3 bandas preferidas.

15º - Capricornia (2001)

14º - The Real Thing (Unplugged 2000)


Ótima compilação de acústicos de estúdio e "ao vivo", com o cover do clássico "The Real Thing", de Russel Morris. Aproveitem.

http://rapidshare.com/files/160355219/2000TheRealThing.zip

3 de novembro de 2008

13º - Redneck Wonderland (1998)


http://rapidshare.com/files/159898538/1998RedneckWonderland.zip

Não esqueci do "20.000 Watt R.S.L.". Mas é que por ser uma (ótima) coletânea, prefiro deixá-lo por último.

12º - Breathe (1996)

11º - Earth And Sun And Moon (1993)

10º - Scream In Blue (Live 1992)



http://rapidshare.com/files/160299515/1992ScreamInBlueLive.zip


Eu sei que muitos estão dizendo "Ah, mas esse não é de estúdio, é ao vivo!" Pois é, eu sei, mas é que muitas bandas têm seus "live albums" clássicos, e esse, sem dúvida nenhuma, é um deles.

9º - Blue Sky Mining (1990)

2 de novembro de 2008

8º - Diesel And Dust (1987)

7º - Species Deceases (1985)

6º - Red Sails In The Sunset (1984)

5º - 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1 (1982)

4º - Place Without A Postcard (1981)

3º - Bird Noises (1980)

2º - Head Injuries (1979)

1º - Midnight Oil (1978)

Midnight Oil - Álbuns por ordem de lançamento

Ao longo da semana, vou colocar todos os álbuns de estúdio para download. Não vou fazer nenhum comentário, já que considero cada álbum dos "Oils" uma obra de excelente qualidade. Espero que gostem. Fiquem à vontade para comentar, reclamar, informar, etc... Abraços.