30 de julho de 2008

Jim Morrison e sua galera...


Hoje estava ouvindo uma coletânea que eu fiz de The Doors e lembrei o quanto é bom ouvir o som dessa banda, que na minha opinião, é única. Não só pelo estilo, mas também pelos músicos.

Som extremamente agradável, com muita qualidade e que não tem como não saber que são eles!!! Querem um conselho? Ouçam bastante! Qualquer coisa deles que seja, não só as famosas.

Aliás, acho que tem muita coisa legal deles e que não é tão conhecida.

Coloco aqui o link para dois "packs", com 15 músicas cada, algumas famosas, outras não tanto.

Abraços a todos.

http://rapidshare.com/files/134770103/Doors_Pack01.zip

24 de julho de 2008

Clássicos...

Como havia dito anteriormente, coloquei alguns álbuns clássicos que dispensam maiores apresentações ou muitos comentários. Logo mais, darei continuidade às postagens, com Rush, Marillion, Midnight Oil e muitas outras coisas boas... Abraços e bom fim de semana!!!

Jerry Lee Lewis - Esse não poderia faltar...

REM - Unplugged



Álbum com músicas retiradas do show da MTV de 1991.


A Tribute To Black Sabbath - Nativity In Black


Ótimas bandas, ótimos covers, ótimas participações...


Alice In Chains - Unplugged MTV


Acho que dispensa comentários né...


22 de julho de 2008

GENESIS - FIM DOS LINKS

Devido à proibições autorais, todos os links do Genesis foram removidos, portanto, ficam apenas as capas e as histórias dos álbuns. Espero que compreendam. Obrigado.

21 de julho de 2008

Little Richard - O início de tudo...


Richard Wayne Penniman nasceu no dia 5 de Dezembro de 1932 em Macon, Georgia, Estados Unidos mais conhecido por Little Richard é um cantor, compositor e pianista americano.

Em sua infância, na Geórgia, Little Richard cresceu ouvindo cantores arrebatados de gospel nas igrejas negras e isto influenciou seu modo de cantar. Aprendeu a tocar piano na adolescência e se tornaria um dos desbravadores do rock, misturando música gospel com r&b, criando um estilo único: uma música agressiva, vibrante, intensa, tocada acelerada ao piano.

Começou a gravar em 1955, estourando nas paradas com a música “Tutti Frutti” (gravada também por Elvis Presley). Seguiram-se hits como "Long Tall Sally", "Rip it up", "Lucille", "Jenny Jenny" entre outros. Richard tornou-se um astro, mas era atormentado por questões religiosas ligadas ao seu homossexualismo, pois cresceu numa cultura cristã e conservadora. Por fim, em 1958, largou a carreira após uma excursão a Austrália para dedicar-se à religião.

Tornou-se pastor e gravou canções gospel. Em 1962, entretanto, voltou aos palcos em uma turnê com shows de abertura dos Beatles e do Rolling Stones.

O interesse da cultura pop britânica pelos pioneiros do rock americano fez com que realizasse diversas shows em clubes ingleses, ao longo dos anos 60, sempre interpretando seus grandes sucessos. Também na America, buscou revitalizar sua carreira gravando canções de padrão soul, mas sempre foi mais reconhecido pelo seu repertório de seus anos iniciais.

Nos anos 70, embora sempre respeitado por seu pioneirismo, dedicou-se mais a eventos nostálgicos celebrando as "origens" do rock' roll do que a uma carreira artística efetiva, gravando poucas canções inéditas.
O link é para um "Greatest" que tem bastante coisa legal!

15 de julho de 2008

Bandas e mais bandas...


Espero que estejam gostando dessas coleções que eu tenho postado.
Logo mais, colocarei alguns álbuns que eu considero muito legais e são extremamente auto-explicáveis, portanto não vou fazer muitos comentários sobre os mesmos.
Logo após, vou postar bastante coisa do Rush, banda que eu considero uma das 10 melhores da história.
Continuem voltando e um abraço!!!

Genesis - Calling All Stations


Lançado em 1997. Gravado após a saída de Phil Collins da banda em 1996, foi uma tentativa dos integrantes Mike Rutherford e Tony Banks continuarem a popularidade da banda e retornar às suas origens.

Genesis - We Can't Dance


We Can't Dance é o 14º álbum de estúdio da banda, gravado e lançado em 1991. É o último com o vocalista e baterista Phil Collins, que deixou a banda em 1996 antes de retornar em 2007 para a turnê de reunião Turn It On Again.

Foi o primeiro álbum de estúdio da banda em cinco anos, seguido do sucesso comercial de Invisible Touch em 1986.

Atingiu a primeira posição no Reino Unido e a quarta posição nos Estados Unidos.

Genesis - Invisible Touch


13º de estúdio, o álbum foi direcionado para novos e antigos fãs da banda, com canções acessíveis como "Land of Confusion" e faixas mais longas como "Tonight, Tonight, Tonight" e "Domino", dedicadas aos fãs da época progressiva do Genesis durante a década de 1970. As letras presentes são uma das raras tentativas da banda em comentar assuntos políticos e sociais, com "Domino" evocando um cenário de guerra nuclear e "Land of Confusion" comentando satiricamente sobre a era Reagan/Thatcher/Gorbachev.

Seguindo o auge do sucesso comercial da banda, Invisible Touch atingiu a primeira posição das paradas britânicas e a terceira posição nos Estados Unidos, onde teve platina sêxtupla. O álbum foi suportado pela turnê Invisible Touch Tour de 1986-1987, cujo concerto no estádio de Wembley foi lançado em 1988 com o nome Live at Wembley Stadium.

Genesis - Genesis


Lançado em 1983, com os "Radio Hits" Mama e That's All, o 12º álbum de estúdio da banda mostrou que eles ainda tinham muito que mostrar, fazendo o trio continuar nas paradas!

Bom trabalho.

14 de julho de 2008

Genesis - Abacab


Primeiro álbum do Genesis a romper a barreira "sagrada" de um milhão de cópias. Mas Abacab não foi só um "Subidor de paradas", mesmo assim, algumas de suas músicas figuraram entre os Top 40 singles ("No Reply At All," "Man on the Corner," e The Title Track).

Genesis - Duke


Duke é o 10º álbum de estúdio da banda, lançado em março de 1980.

O álbum tornou-se o primeiro do trio a alcançar a primeira posição nas paradas do Reino Unido, enquanto também aumentou sua audiência nos Estados Unidos, atingindo a décima primeira posição e disco de ouro imediatamente (disco de platina posteriormente).

Pode ser considerado um álbum de transição, incorporando tanto elementos de instrumentação densos e elaborados da era anterior da banda na década de 1970 quanto materiais de melodia pop que marcaram fases posteriores da banda.

Duke foi uma mistura de extremos, contendo tanto faixas para rádio como "Misunderstanding", quanto suítes de rock progressivo como "Duke's Travels".

Não preciso dizer que é um "Must Have" né?

Genesis - And Then There Were Three

Com a saída do Frontman Peter Gabriel e do guitarrista Steve Hackett, o Genesis se transformou num tri, composto por Phil Collins, Tony Banks e Mike Rutherford, o que fez com que poucos esperassem que a banda fosse melhorar sua qualidade musical e seu sucesso comercial. Mas foi exatamente o que aconteceu. A romântica "Follow You, Follow Me" introduziu a banda aos charts de singles. As complexas, porém accessíveis "Deep in the Motherlode", "Burning Rope", "Down and Out", e "Ballad of Big", também são grandes obras a serem ouvidas.

11 de julho de 2008

Genesis - Wind & Wuthering


Nesse segundo álbum de 1976 e segundo depois que Phill assumiu os vocais, o Genesis continua a fazer Art-Rock accessível e emocionante, apesar de menos excessivo do que com Peter Gabriel.

Os épicos "Eleventh Earl Of Mar" e "One For The Vine" deixam bem a mostra os instintos progressivos apurados dessa banda, enquanto "Wot Gorilla?" e "All In A Mouse's Night" demonstram um tênue senso de humor. Enquanto isso, a baladinha "Your Own Special Way" é um presságio das baladas românticas que logo mais fariam o Genesis uma máquina internacional de Hits!

Genesis - A Trick Of The Tail


7º Álbum de estúdio, marcou a saída de Peter Gabriel. A partir daqui, os vocais, foram assegurados pelo baterista da banda, Phil Collins.

O álbum, por muitos considerado um dos melhores do grupo, marcou a passagem da fase progressiva da banda para uma fase mais pop. Lançado em 1976, o álbum traz também músicas instrumentais, como Los Endos e psicodélicas, como Dance on Vulcano.

Genesis - The Lamb Lies Down On Broadway


Álbum Conceitual da banda, foi lançado em 1974. 6º álbum de estúdio.

O álbum conta a história surreal do jovem delinqüente porto riquenho Rael, morando em Nova York, que é varrido para uma dimensão alternativa, com criaturas bizarras e outros perigos para resgatar seu irmão John. Várias ocorrências e lugares descritos derivam de sonhos de Peter Gabriel e o nome do protagonista é um trocadilho com seu sobrenome.

A maioria das canções do álbum foram escritas por Tony Banks, Phil Collins, Steve Hackett e Mike Rutherford, sem a participação de Gabriel, que insistiu em escrever a história e todas as letras sozinho, o que causou tensão na banda, em particular pelo fato de Rutherford ter sugerido originalmente um álbum baseado em O Pequeno Príncipe. A ausência completa de Gabriel na composição foi devido aos problemas de sua esposa com sua primeira gestação.

Durante a pré-produção de The Lamb, Gabriel contactou o cineasta William Friedkin, na época aproveitando o grande sucesso de O Exorcista, para um possível filme. Apesar da desaprovação dos outros membros, Gabriel deixou a banda para trabalhar em alguns rascunhos. Apesar do projeto não ter saído do papel, Gabriel acabou voltando para a banda.

The Lamb Lies Down on Broadway foi lançado com críticas mistas, atingindo a décima posição no Reino Unido e quase atingindo o Top 40 nos Estados Unidos, recebendo disco de ouro naquele país posteriormente. A banda entrou em turnê mundial após o lançamento, apresentando a obra em sua totalidade 102 vezes.

Logo no começo da turnê, Gabriel decidiu sair da banda por definitivo, apesar de ter terminado toda ela, tornando o assunto público somente em agosto de 1975.

6 de julho de 2008

Genesis - Selling England By The Pound


Quinto álbum de estúdio, gravado e lançado em 1973. Sucedeu Foxtrot e foi o maior sucesso comercial da banda com Peter Gabriel, atingindo a terceira posição no Reino Unido e alcançando disco de ouro nos Estados Unidos em 1990.

Um sucesso total e grande representante do rock progressivo dos anos 70, com suas músicas de 10 minutos, que acabaram virando meio que marca registrada do gênero, porém não cansativas aos ouvidos, ótimas melodias e excelentes instrumentistas. Ótimo álbum para quem não conhece Genesis antes de Phil Collins. Sucesso garantido.

Genesis - "Foxtrot"

Quarto álbum de estúdio da banda e o segundo contando com a formação clássica da banda. Gravado e lançado em 1972, quando a carreira da banda logo ganhou notoriedade. Foxtrot foi também o primeiro álbum do Genesis a entrar nas paradas musicais britânicas, atingindo a 12ª posição. Apesar disso, falhou em atingir as paradas americanas, tal como bandas contemporâneas como Yes, Emerson, Lake and Palmer e Jethro Tull.

Tanto as canções "Watcher of the Skies" e "Supper's Ready" figuram entre as obras mais admiradas pelos fans, tornando-se as favoritas em apresentações.

Álbum que também foi um ponto decisivo na carreira da banda. Uma banda de Rock-Arte emergente que estava construindo um grande legado, junto com uma agenda de shows imensa.

Esse álbum foi um marco artístico e comercial, primeiro álbum da banda a figurar nos "charts".

Inclui as clássicas "Watcher of the Skies" e "Get 'Em Out by Friday". O "highlight" é a ambiciosa, épica e longa o suficiente para ocupar um lado inteiro do LP "Supper's Ready". Composta por sete subsecções ligadas, foi inspirada - aparentemente - pela desesperadora experiência da esposa de Peter Gabriel, Jill, que se sentia posuída e é também, uma história de dois amantes e a luta pelo bem e pelo mal.

Certamente é a obra mais entretenedora e inovativa que a banda produziu até então.

Genesis - "Nursery Cryme"


Terceiro álbum de estúdio, gravado e lançado em 1971. Foi o primeiro álbum a apresentar a formação de Peter Gabriel, Tony Banks, Mike Rutherford, Phil Collins e Steve Hackett, os dois últimos substituindo John Mayhew e Anthony Phillips na bateria e guitarra respectivamente, após o lançamento de Trespass. Tal formação permaneceria até a saída de Gabriel em 1975.

"The Musical Box" e "The Return of the Giant Hogweed" tornaram-se as maiores atrações de suas apresentações ao vivo. Apesar de não ter se tornado um sucesso logo após a estréia, Nursery Cryme tornou-se um hit na Itália, e atingiu a 39ª posição nas paradas do Reino Unido em 1974.

Apesar de não tão polido na produção quanto os álbuns sucessores, Nursery Cryme foi ainda um grande progresso em relação ao segundo álbum Trespass. Apesar do clima folk rock ainda estar presente em canções como "Harlequin" e "For Absent Friends", outras faixas apresentaram um som mais estridente e agressivo. A guitarra de Hackett com seus solos fortes contribuiu muito para isso.

Led Zeppelin, The Who e Black Sabbath estavam no auge de seus primores e uma outra banda pouco conhecida da Inglaterra estava começando a fazer seu nome. Banda que ficaria conhecida pelas performances teatrais de seu frontman Peter Gabriel. 'Nursery Cryme' veio a se tornar o primeiro álbum com a formação que os deixou famosos: Gabriel nos vocals, Phil Collins na bateria (e nos backing vocals), Tony Banks nos teclados, Steve Hackett na guitarra, e Mike Rutherford no baixo e na guitarra.

Genesis - "Trespass"

Segundo álbum de estúdio da banda, foi gravado e lançado em 1970. Único álbum com o baterista John Mayhew e o último com o guitarrista Anthony Phillips.

Na maior parte, as músicas são calmas e carregadas com o peso dos violões de doze cordas e do piano, com a única exceção da excelente (e agressiva) música final "The Knife", que apresenta uma guitarra poderosa (e pesada). É uma obra muito intensa e os gritos no final fazem você ficar de cabelo em pé!!!

Genesis - "From Genesis To Revelation"


Primeiro álbum da banda, foi lançado em março de 1969. Produzido por Jonathan King, que havia descoberto a banda em 1967, enquanto os integrantes ainda cursavam a Charterhouse School.

Desde sua descoberta, o Genesis era formado por Peter Gabriel, Tony Banks, Mike Rutherford e Anthony Phillips, sem a presença de um baterista. Assim que uma de suas demos chamou a atenção de Jonathan, ele os conduziu a uma audição com Chris Stewart na bateria para gravar "The Silent Sun" como seu primeiro single.

O lançamento em fevereiro de 1968 pela Decca Records, a mesma que contratou o The Rolling Stones na mesma época, não teve sucesso comercial. O single sucessor "A Winter's Tale" lançado três meses após também não teve sucesso. King insistiu e substituiu Chris Stewart por John Silver na bateria, e então a banda compôs um álbum com canções baseadas na Bíblia.

Seqüenciado como um álbum conceitual contínuo, o som produzido era bastante diferente de Trespass. Na época da gravação, a idade dos integrantes variava entre 16 e 18 anos e nenhum deles era considerado especialista em seu instrumento, sem sequer experiência em estúdio.
"From Genesis To Revelation" foi lançado com uma capa preta com o título em tipografia gótica em dourado. Era catalogado em lojas de música nas seções religiosas, sendo muito difícil de ser encontrado. Suas vendas iniciais foram modestas (600 cópias).

Genesis - Ícone do Rock Progressivo


Essa semana começo a postar alguns álbuns do Genesis, excelente banda de Rock Progressivo, que na minha opinião, teve dois dos melhores artistas desse gênero, Peter Gabriel e Phil Collins.

Formada em 1967, seus fundadores foram Peter Gabriel, Mike Rutherford, e Tony Banks. Alcançaram sucesso considerável nas décadas de 1970, 1980 e 1990, com aproximadamente 150 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo, sendo considerado um dos trinta maiores artistas de todos os tempos.

A banda é conhecida por duas fases musicais diferentes. Na fase inicial da carreira, suas estruturas musicais complexas, instrumentação elaborada e apresentações teatrais a tornou uma das bandas mais reverenciadas do rock progressivo na década de 1970.

Criações clássicas da banda nesse período incluem a canção de 23 minutos "Supper's Ready", além do álbum conceitual de 1974 The Lamb Lies Down on Broadway.

A partir da década de 1980, sua música tomou um caminho distinto em direção ao pop, fazendo com que se tornassem mais acessíveis para a cena musical.

Realmente, poderia me estender por várias e várias linhas, mas vou indicar o link da Wikipedia, pois achei bem legal o conteúdo sobre a banda, bem completo e explicando bem as fases da banda, inspirações, etc...

Espero que gostem.