7 de maio de 2008

Jefferson Airplane - Psicodélicos, apocalípticos ou apenas legítimos representantes dos loucos anos 60???

Umas das bandas mais famosas na década de 60, é geralmente associada a drogas como maconha e LSD, talvez por causa do sucesso estrondoso de White Rabbit. Porém, sua música vai muito além disso. Por ter membros tão diferentes entre si, houveram vários temas, desde baladas românticas até letras ácidas contra o ser humano, passando pelas viagens alucinógenas.

Alguns críticos dizem que suas letras são datadas e não representam mais a época atual, e por isso não devem ser levados tão a sério. Besteira. É só ler a letra de “Eskimo Blue Day”, que diz sobre a falta de respeito da humanidade com a natureza. Não é isso que acontece hoje em dia? A banda deve ser levada a sério, sim, não só por causa das letras inteligentes, sarcásticas, irônicas, românticas, mas também pelos ótimos músicos que passaram por ela, e pelo belíssimo conjunto vocal, além, é claro, da experimentação musical. Todos estes itens muito raros no rock atual.

Foi a única banda a participar dos três maiores festivais da época – Monterey, Woodstock e Altamont. Acabou se desintegrando devido à briga de egos entre eles mesmos, algo absolutamente normal numa banda em que todos tinham importância fundamental, podendo seguir carreira solo se quisessem, sem nenhum problema, o que realmente aconteceu com cada um que fez parte da formação que existiu por mais tempo (e a que deu mais certo) – Grace Slick (vocal), Marty Balin (vocal), Paul Kantner (guitarrista), Jorma Kaukonen (guitarrista), Spencer Dryden (baterista) e Jack Casady (baixista).

Pouco antes de lançar seu primeiro álbum, a banda despede o empresário Kantz, recolocando em seu lugar Bill Thompson.

O grupo se apresenta no “Monterey Jazz festival”, sendo o primeiro grupo de rock a fazê-lo., em setembro de 1966.

Signe Anderson, não tendo como conciliar a gravidez com a banda, faz sua última aparição com o Airplane em outubro de 1966 no Fillmore Auditorium. Slick faz sua estréia no grupo, trazendo duas canções de sua antiga banda : White Rabbit e Somebody to Love.

A banda toca no primeiro “Human Be-In” no Golden Gate Park, em San Francisco, antes de entrar na primeira turnê pela costa leste.

Somebody to Love é lançado em março de 1967, e é tema de uma matéria de 6 páginas da revista Look, onde é creditada como uma das principais influências do “Summer of Love”.

Surrealistic Pillow, o primeiro álbum com Grace Slick e Spencer Dryden, com participação de Jerry Garcia (do Grateful Dead), chega a terceiro nas paradas americanas, ganhando um disco de ouro. A banda é a sexta a tocar no “Monterey International Pop Festival”.
Surrealistic Pillow é lançado no Reino Unido numa edição em que foi excluída faixas como “White rabbit” e “Plastic Fantastic Lover”, substituídas por outras que não foram incluídas no primeiro álbum lançado lá.

After Bathing at Baxter’s – terceiro álbum da banda – atinge o 17º lugar nas paradas americanas, em fevereiro de 1968. Nesse mesmo mês Jack Casady participa do álbum Eletric ladyland, de Jimi Hendrix, e no Togheter de Country Joe & The Fish.
Em abril de 1968 o Airplane abre o clube Kaleidoscope, em Los Angeles, com o Canned Heat.

Em junho de 1968 o grupo aparece na capa da revista Life, que tem artigos sobre o Cream, The Doors, Jimi Hendrix, Janis Joplin, The Mothers of Invention e The Who, sob o título de “Jefferson Airplane, grupo de rock no ápice, com música que envolve o mundo inteiro”.

A mansão localizada na 2400 Fulton St, em San Francisco, é comprada pela banda para servir de sede por 73 mil dólares (e depois vendida em 1985 por 700 mil dólares).
Em agosto de 1968 toca no Newport Pop Festival, em Costa Mesa, junto com The Byrds, Canned Heat, Grateful Dead, Sonny & Cher, Steppenwolf, e outros.
O 4º disco da banda – Crown of Creation – fica em 6º lugar nos Estados Unidos, em novembro de 1968.

O diretor francês Jean-Luc Godard filma a banda tocando no telhado em Manhatan, para seu filme “One American movie”, mas desiste de fazê-lo. O filme é transformado em um documentário por D.A. Pennebaker, com o nome “One P.M.” .
Em dezembro de 1968 Kaukonen e Casady formam um grupo como projeto paralelo: Hot Tuna.

Em janeiro de 1969 Slick é hospitalizada com a suspeita de tumor na garanta, fazendo sua segunda operação nas cordas vocais.

É lançado o álbum ao vivo Blees Its Pointed Little Head, sendo o primeiro álbum da banda a entrar nas paradas inglesas, no 38º lugar por uma semana.

O grupo lidera um concerto em agosto de 1969 em Lenox, junto com B.B. King e The Who. Nesse mesmo mês toca na manhã do segundo dia (domingo) no “Woodstock Music & Art Fair”, em Bethel.

Em novembro de 1969 o grupo toca no Fillmore East com Slick vestida de Hitler e com participação do ator Rip Torn como Richard Nixon.

Volunteers, o 5º álbum e o mais político da banda fica em 13º nas paradas dos EUA.

Em dezembro de 1969 participa do fatídico concerto em Altamont Speedway, onde Balin foi atacado no meio de uma música por um dos “seguranças” dos Hell’s Angels.

Em fevereiro de 1970 Dryden sai da banda e ingressa no New Riders of the Purple Sage, em 1971. Em seu lugar entra Joey Covington, que já havia tocado com o Hot Tuna.

Em junho de 1970 o grupo se apresenta no “Bath Festival of Blues & Progressive Music”, na Inglaterra, com o Led Zeppelin.

Em outubro Slick, grávida de Kantner, fica impossibilitada de fazer aparições ao vivo.

Casady e Kaukonen, que por algum tempo tocavam com o Airplane como Hot Tuna ou como um duo acústico, formalizam sua saída do grupo. Eles convidam o violinista “Papa”

John Creach, que viria a ser um membro do Airplane, fazendo sua estréia em Winterland no dia 5. Balin recusa-se a participar em luto por Janis Joplin, que tinha falecido um dia antes.

Em janeiro de 1971 Slick dá à luz à uma menina, chamada China.

Em fevereiro é lançada a coletânea “The Worst of Jefferson Airplane”.

Em abril de 1971 Balin deixa a banda, ficando um ano afastado da música, retornando para produzir a banda Grootna para a gravadora Columbia em 1972, sendo o vocalista da
Boudacious D.F. no ano seguinte.

Em agosto de 1971 a banda lança seu próprio selo, a Grunt Records.

O 1º álbum pelo novo selo e 6º da banda – Bark – fica em 11º nos EUA, ganhando um disco de ouro.

Em abril de 1972 o grupo se reúne para sessão de gravação, e durante ela Covington deixa o grupo para se juntar ao Black Kangaroo. É substituído pelo ex-baterista do The
Turtles John Barbata

O grupo toca no Roosevelt Raceway, em Long Island, como parte do “Festival of Hope”, em benefício à The Nassau Society for Crippled Children and Adults. Slick é nocauteada e Kantner é ferido durante uma briga depois do responsável pelos equipamentos Chick Casady (irmão de Jack) chamar a polícia de “porcos” durante um show no Rubber Bowl, em Akron. É preso pela polícia.

Em setembro de 1972 o 7º álbum da banda – Long John Silver – alcança a 20º posição nas paradas americanas e durante uma semana fica em 30º no Reino Unido.

O último show do Airplane ocorre em Winterland, com o guitarrista David Freiberg do Quicksilver Messenger Service e Marty Balin como convidados.

Em abril de 1973 o Airplane lança o álbum ao vivo Thirty Seconds Over Winterland.

Em agosto de 1989 os principais membros se reúnem para um álbum e uma turnê.

Seguido de uma série de reuniões parciais, Grace Slick, Marty Balin, Paul Kantner, Jorma Kaukonen e Jack Casady lançam Jefferson Airplane, o 1º álbum juntos depois de 17 anos. Grace recentemente havia deixado o Starship, a banda que seguiu ao Jefferson Starship, que ela mesma fundou após a ruína do Jefferson Airplane. Paul Marty e Jack tinham gravado juntos por um breve tempo como KBC Band. Paul também tinha se juntado com o Hot Tuna de Jorma e Jack durante uma turnê, preparando a cena para a volta do Airplane. Ao invés de chamarem algum dos bateristas que tocaram na banda, o grupo chamou Kenny Aronoff, que tinha trabalhado com John Mellencamp. Ron Nevison, que tinha produzido alguns álbuns de Grace e do starship, é covocado para a produção.

O melhor resultado do álbum foi um desapontante 85º lugar. Os críticos detonaram abertamente o álbum, mas a turnê recebeu muitos reviews positivos, apesar do fato da banda ter sido ajudada por muitos outros músicos.

Em setembro, após a turnê que teve mais de 25 datas, concluída num show gratuito no Golden Gate Park, o Jefferson Airplane se desfaz definitivamente, com Grace e Dryden se retirando do meio musical. A revista Rolling Stone chama a turnê como “a mais não-desejada volta do ano”.
Em janeiro de 1996 a banda entra para o Rock and Roll Hall of Fame no 11º jantar anual. Mickey Hat e Phil Lesh do Grateful Dead são os apresentadores.

Mando o link para uma coletânea com muita coisa boa deles. Espero que gostem. Abraços.

http://rapidshare.com/files/113292257/Jefferson_Airplane_-_Journey..._Best_Of.rar.html

3 comentários:

Leandro disse...

POST MARAVILHOSO!!!
ELES SÃO DEMAIS!!!!

Xexa disse...

É isso aí Leandro, qual respota melhor que a velha "Não se fazem mais bandas como as de antigamente"??? Abraços e muito obrigado pela visita!!!

Anônimo disse...

hi, new to the site, thanks.