27 de abril de 2008

Jane's Addiction - Precursores do Grunge??

A banda nasceu na Califórnia, em 1985, com os amigos Perry Farrell (vocal), Eric Avery (baixo) e Dave Navarro (guitarra). Eles se reuniram para tocar rock’n’roll influenciado pelo hardcore, metal, funk e até jazz, uma criatividade que era embalada ainda pelas letras de Farrel, que iam da ironia ao enigmático. Após a entrada do baterista Stephen Perkins, o grupo começou a fazer pequenos concertos na região e rapidamente chamou a atenção. Os fãs aumentavam a cada apresentação e as gravadoras faziam marcação cerrada no grupo.

Eles preferiram lançar o primeiro disco com um pequeno selo chamado Triple XXX. “Jane’s Addiction” foi gravado ao vivo em um concerto no Roxy, em Los Angeles e os destaques foram “Pigs in Zen” e “Jane Says”, além de um cover de “Sympathy for the Devil”, dos Rolling Stones. Finalmente uma gravadora de peso, a Warner, conseguiu fechar um contrato com o Jane’s Addiction. Em 1988, foi lançado “Nothing´s Shocking”, que gerou polêmica ao trazer nudez na capa do disco - o que só ajudou a permanência do trabalho por 35 semanas nas paradas musicais.

O sucesso continuou com a canção “Been Caught Stealing”, que fazia parte do terceiro disco, “Ritual de lo Habitual”, lançado em 1990. Mas com o Jane’s Addiciton não foi diferente de qualquer outra banda de sucesso meteórico, onde os problemas aparecem quando o sucesso é maior. Farrel se desdobrava para participar da turnê e dar conta da organização do festival Lollapalooza. Além disso, o grupo enfrentava problemas com drogas e os conflitos entre Navarro e Farrel ficaram insuportáveis. Após uma turnê explosiva, em 1991, o grupo anunciou o fim, mas o Jane´se Addiction já era considerado o precursor da cena musical underground, que viria abrir espaço para The Smashing Pumpkins, Pearl Jam, entre outros.

Cada integrante seguiu o seu caminho. Farrel se dedicou à produção do Lollapalooza e formou a banda Porno for Pyros, com Stephen Perkins; Eric Avery foi para o grupo Polar Bear e Dave Navarro para o Red Hot Chili Peppers. Foram seis anos separados, até que a gravação de uma canção para a trilha sonora do filme “O Rei da Rádio” os uniu novamente. Foi o necessário para que despertasse o desejo de voltar a tocar juntos.

Em 1997, o Jane’s Addiction estava oficialmente de volta com a turnê “It’z My Party”, nos Estados Unidos e Canadá. Como Eric não participou, o baixista Flea, do Red Hot Chili Peppers, ficou com a função. O grupo lançou ainda o disco “Kettle Whistle”, com versões ao vivo das canções de maior sucesso da carreira e algumas demos nunca gravadas. O disco não obteve muito sucesso, mas a turnê foi surpreendente. Mesmo assim, eles pararam novamente e todos voltaram a se dedicar a outros projetos.

Em 2001, mais uma tentativa da volta da banda. Farrel e Perkins foram os primeiros a se reunir, depois Dave Navarro se juntou ao grupo com o novo baixista Chris Chaney. Eles entraram em estúdio para a gravação de um álbum com canções inéditas, “Strays”, lançado em 2003, produzido por Bob Ezrin, que já trabalhou com Alice Cooper e Pink Floyd. Depois de anos sem lançar um trabalho inédito, o Jane’s Addiction conseguiu colocar o disco direto no primeiro lugar no ranking de álbuns alternativos da Billboard.

Curiosidade: O Vocalista Perry Farrel é um excelente surfista amador, já tendo vencido a categoria “Celebridades” do torneio Kelly Slater nas ilhas Fiji.

Seguem links para os álbuns "Nothing's Shocking", "Strays" e "Up From The Catacombs (Best Of)", com muitos sucessos banda. Abraços!!!

2 comentários:

Ray disse...

E ae Xexa, muito massa o blog... não conhecia mta coisa de Janes, mas acho loko!
Abraços!

Xexa disse...

Valeu cara, então, acho uma banda bem original, ainda mais se considerar a época em que os caras começaram com esse som... Abraço!